Topo

Serguei é enterrado em Saquarema, cidade onde mantinha seu Templo do Rock

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

08/06/2019 09h20Atualizada em 08/06/2019 16h00

O corpo de Serguei, que morreu ontem aos 85 anos, foi velado na manhã de hoje na Câmara Municipal de Saquarema, na região dos Lagos do Rio de Janeiro e enterrado em seguida, por volta de meio-dia, no Cemitério Municipal da cidade.

O roqueiro vivia em Saquarema desde 1972 e transformou sua casa em museu em 2006, que ficou conhecida como o Templo do Rock. Considerado patrimônio cultural do município, o local será conservado pela prefeitura, que decretou luto de três dias pela morte do ilustre morador.

Carlos Loffler, último a visitar o amigo no hospital, publicou hoje um vídeo em seu Instagram a caminho da despedida do amigo. "Partiu Saquarema! O velório do nosso querido Serguei vai ser hoje na Câmara Municipal de Saquarema, das 8 as 11 horas", escreveu.

Muito abalado, o ator falou sobre a morte de Serguei ontem ao UOL. "Está muito difícil para mim. Ontem, depois da visita, eu soube que ele estava indo embora. Ele estava muito abatido e magro."

Na última visita, Carlos disse que cantou "(I Can't Get No) Satisfaction", dos Rolling Stones, e Serguei reagiu balançando as mãos e os pés. O artista, no entanto, não conseguiu falar porque estava entubado. "Mostrei também alguns vídeos no celular. Foi uma 'festa' a visita."

Divino do rock

Sérgio Augusto Bustamante nasceu em 8 de novembro de 1933. Filho de um executivo da IBM, Domingos Bustamante, ele teve um amigo russo na infância que o chamava de Serguei e o apelido acabou pegando.

Morou com a avó paterna em Nova York, nos Estados Unidos, quando ainda era adolescente e participou de festivais estudantis. De volta ao Brasil, trabalhou em bancos e como comissário de bordo. No retorno aos Estados Unidos, iniciou sua carreira na música e esteve no famoso Festival de Woodstock, em 1969.

O cantor afirmava que teve um relacionamento amoroso com a cantora Janis Joplin no final daquele ano. Quando Janis Joplin visitou o Brasil em 1970, Serguei foi uma das pessoas que acompanharam a artista no Rio de Janeiro.

Em 1972, Serguei mudou-se para Saquarema, na Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. Em sua residência foi criado o Museu do Rock, administrado por ele e constituído de peças de roupas, discos, prêmios, cartazes, filmes e outros materiais sobre sua carreira.

Serguei morava sozinho no Templo do Rock, onde recebia diariamente amigos e turistas e recebia uma mesada da prefeitura para manter o museu. O UOL visitou o local em 2015.

Em 2013, Serguei desfilou pela escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel no enredo que contava a história do Rock in Rio. Conhecido como "O Divino do Rock", ele lançou oito compactos simples, um LP e dois CDs entre 1966 e e 2009 e chegou a tocar no Rock in Rio II (1991) e Rock in Rio III (2001).

Serguei continuou ativo na música até o final de 2018, tocando com sua banda Pandemonium.

Serguei não deixa herdeiros.

Mais Rock