PUBLICIDADE
Topo

Filmes e séries


Morre Carmine Caridi, ator de "Poderoso Chefão" que foi pego pirateando filmes do Oscar

Carmine Caridi - Reprodução
Carmine Caridi Imagem: Reprodução

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

29/05/2019 14h52

O ator Carmine Caridi, mais conhecido por seus papéis nos dois últimos filmes da trilogia "O Poderoso Chefão", morreu ontem em um hospital em Los Angeles, em decorrência das complicações de uma queda. Caridi tinha 85 anos.

Além da carreira na frente das câmeras, o ator viu seu nome nas manchetes do mundo do entretenimento por conta de um escândalo envolvendo a Academia do Oscar. Em 2004, foi descoberto que Caridi estava pirateando os filmes que recebia, meses antes do lançamento oficial, como votante da premiação.

O ator foi expulso da Academia, mas não adotou uma postura arrependida. "Eu mandei cópias dos filmes que eles me deram para pessoas que não podiam pagar ingressos no cinema. Fiz a alegria de muita gente", comentou em entrevista da época ao The Hollywood Reporter.

Caridi interpretou dois papéis diferentes nos filmes da trilogia de Francis Ford Coppola. Em "O Poderoso Chefão 2" (1974), foi o mafioso Carmine Rosato; em "O Poderoso Chefão 3" (1990), encarnou Albert Volpe.

O ator teve experiências reais com a máfia ítalo americana durante sua juventude em Nova York. "Eu sou sortudo de estar aqui falando com você. Todos os meus amigos foram trabalhar para a máfia, mas eu entrei em um grupo de teatro", comentou em entrevista.

Antes de sua carreira deslanchar em Hollywood, no entanto, Caridi serviu por três anos no exército norte-americano, durante a Guerra da Coreia. Anos depois, foi preso por tentar vender cocaína a um agente disfarçado.

Além de "O Poderoso Chefão", Caridi é lembrado por papéis em filmes como "O Príncipe da Cidade" (1981), "Um Dia a Casa Cai" (1986) e "Bugsy" (1991). Mais recentemente, fez participações nas séries "Abby's" e "Curb Your Enthusiasm".

Filmes e séries