PUBLICIDADE
Topo

Vingadores


Bilheteria recorde de "Vingadores: Ultimato" incomoda os diretores; entenda

Os diretores Anthony e Joe Russo em pré-estreia de "Vingadores: Ultimato" em Londres - John Phillips/Getty Images
Os diretores Anthony e Joe Russo em pré-estreia de "Vingadores: Ultimato" em Londres Imagem: John Phillips/Getty Images

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

05/05/2019 11h12

Os irmãos Russo deveriam estar bem contentes com os mais de US$ 2 bilhões que "Vingadores: Ultimato" já fez em bilheterias pelo mundo, certo? Não é bem assim. Os diretores do filme que encerra a saga do grupo de heróis da Marvel desabafaram em entrevista ao podcast ReelBlend sobre o quanto o valor arrecadado até agora tem tirado o foco de questões mais importantes do trabalho deles.

"Eu tenho de ser honesto. Estou quase frustrado que o filme tenha se saído tão bem, porque a questão das bilheterias está literalmente dominando o noticiário e essa não é parte mais interessante da história", explicou Anthony Russo.

"É sempre a mesma coisa. Quanto arrecadou de bilheteria? Quebrou algum recorde? Quebrou o recorde do filme anterior? Esse tipo de coisa é ruim para um filme. Mas é claro que nós esperamos que quebre o recorde internacional, porque seria histórico, certo", acrescentou Joe Russo, explicando que - apesar de eles desejarem sim números recordes como diretores - isso não é tudo.

Joe seguiu falando sobre a ansiedade criada em torno de novos recordes. "Você fica esperando e rezando para que supere o [recorde] doméstico, que foi batido por 'Guerra Infinita' no ano passado. Caso contrário, parece um fracasso. É uma loucura que um filme como esse tenha esse tipo de exigência."

"Vingadores: Ultimato" já é o segundo filme de maior bilheteria da história do cinema e caminha para o topo do ranking, que ainda é liderado por "Avatar" (2009), de James Cameron.

Vingadores