Topo

Homem processa Netflix após perder pé em acidente no set de filme do Mötley Crüe

Cena de "The Dirt - Confissões do Mötley Crüe" - Divulgação/Netflix
Cena de "The Dirt - Confissões do Mötley Crüe" Imagem: Divulgação/Netflix

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

27/03/2019 08h14

Um homem que trabalhou nos bastidores de "The Dirt", filme sobre a banda de hard rock Mötley Crüe lançado na última sexta-feira, está processando o grupo e a Netflix, responsável pelo longa, por um acidente grave que sofreu. Louis DiVincenti sofreu queimaduras graves, perdeu um pé e teve considerada chance de 2% de sobreviver pelos médicos.

Segundo o "The New Orleans Advocate", o acidente foi com eletricidade, em março de 2018. Durante a época das filmagens, um dos cenários foi um restaurante, chamado Munch Factory - simulando a tradicional casa de shows Whiskey a Go-Go. Um choque de alta voltagem rendeu queimaduras em 50% do corpo de DiVincenti.

Ele passou meses na ala para recuperados de queimaduras do University Medical Center. Agora, ele processa as partes envolvidas em "The Dirt" em busca de US$ 1,8 milhão - incluindo no valor o pagamento de suas despesas médicas.

Segundo a vítima do choque, era obrigação da Netflix e de seus superiores garantir segurança para que o acidente não acontecesse. Ele transportava canos de metal, que em contato com a linha elétrica energizada, lhe deram o choque.

Os médicos deram 2% de chances de vida para DiVincenti. As queimaduras severas tomaram metade de seu corpo, hoje com cicatrizes, e ele foi obrigado a amputar o pé direito, a parte do corpo mais atingida pela eletricidade.

"The Dirt" conta a história cheia de sexo, drogas e rock n' roll do Mötley Crüe, uma das bandas mais importantes da cena do rock farofa dos anos 1980.

Rock