PUBLICIDADE
Topo

Brie Larson, a Capitã Marvel, chorou ao ver "Mulher-Maravilha"

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

13/02/2019 15h20

Quando "Capitã Marvel" estrear, no próximo dia 7, Brie Larson se tornará a primeira mulher a protagonizar um filme da Marvel - e ela entende bem a importância do papel e do que ele representa, pois se emocionou ao assistir a "Mulher-Maravilha", filme da concorrente DC estrelado por Gal Gadot.

"Quando eu era criança, eu queria ser uma aventureira, queria ser uma sabichona, queria sujar minhas mãos", disse a atriz em entrevista à revista "The Hollywood Reporter". "Não foi até ir ao cinema ver 'Mulher-Maravilha'... Eu pensei 'por que isso está me fazendo chorar tanto?' E percebi que era porque eu não havia tido aquilo, e tinha uma criança em mim pensando 'Meu Deus, posso fazer isso!'"

Brie acredita que o filme irá levantar várias discussões sobre a representatividade feminina nas telas. "A própria natureza desse filme significa que estou falando sobre o que significa ser uma mulher, sobre como a força é vista, sobre a complexidade das experiências das mulheres, a representação feminina. É surpreendente e muito legal que no meu primeiro grande filme eu esteja tendo esse tipo de conversas".

Para a atriz, a preparação para viver Carol Danvers nas telas foi transformadora física e emocionalmente, principalmente porque seu treinamento físico coincidiu com o início do Time's Up, movimento contra o abuso sexual e a desigualdade de gêneros iniciado em Hollywood - e no qual ela está muito envolvida.

"Era o momento em que eu estava me tornando capaz de levantar mais peso e estava aprendendo a dar socos, chutes e golpes de judô. Também era o momento em que eu estava aprendendo a me sentar em uma mesa de reuniões, bater minhas mãos e dizer 'você precisa escutar o que estou dizendo' - e aprender a não me sentir culpada por ocupar o meu espaço assim".

Brie ainda afirmou que teve dúvidas sobre o papel antes de aceitá-lo. "Eu fiquei hesitante até de ir à reunião [para discutir o papel]. Eu não achava que conseguiria lidar com o que vem com um filme assim. Eu sou muito introvertida, vou ter um colapso. Mas começaram a me falar sobre o filme e eu pensei 'isto é a culminação de muitas coisas que eu queria'".