PUBLICIDADE
Topo

Geno perde na Justiça e ex-parceiro Gino pode voltar a usar o nome da dupla

A nova dupla Gino & Geno formada por Sebastião Ribeiro de Almeida e Mauro Avante - Divulgação
A nova dupla Gino & Geno formada por Sebastião Ribeiro de Almeida e Mauro Avante Imagem: Divulgação

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

08/02/2019 22h42

Geraldo Alves dos Santos, o Geno, perdeu a liminar judicial em que tentava proibir o uso de seu nome artístico. Um juiz determinou nesta quinta-feira (8) que seu ex-companheiro, Gino, poderá seguir fazendo apresentações com o nome oficial da dupla ao lado do substituto Mauro Avante.

Geraldo queria impedir "o nome Geno na formação da nova dupla, realização de shows, eventos, gravações de mídias, etc", exigindo ainda uma multa diária de R$ 10 mil caso não fosse cumprida a ordem, indicou o documento do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Separação da dupla

No início deste ano, o cantor Geno, nome artístico de Geraldo Alves dos Santos, anunciou em um vídeo que estava deixando, de forma amigável, a dupla Gino & Geno porque queria descansar.

Em um anúncio casado, o antigo parceiro, Gino (Sebastião Ribeiro de Almeida), anunciou que ele manteria o nome da dupla e continuaria na estrada com o substituto Mauro Avante, da dupla Avante & Avaí, que passaria a ocupar posto e o nome de Geno. A nova dupla anunciou, inclusive, três novas músicas que eles gravaram juntos após a saída de Geraldo.

Não é bem assim

Dias depois Geraldo (o antigo Geno) postou um vídeo no Instagram dizendo que havia ocorrido um mal-entendido. "Não autorizei nenhum artista a usar o meu nome. Geno sou eu. É minha identidade e foi construída ao longo de 50 anos de carreira. É minha história. É que eu sou. É como sou conhecido entre amigos, família e fãs. Estou encerrando minha vida nos palcos, mas meu nome levo comigo. Se alguém estiver usando o nome 'Geno' é preciso que saibam que é sem meu conhecimento", afirmou.

Além disso, Geraldo encaminhou para o escritório WM Shows (de Wagner Tadeu de Paula) uma notificação extrajudicial, informando que não liberaria o nome "Geno". Wagner disse que ficou sem entender nada. "Quando o Geraldo pediu para sair, nós concordamos em pagar um valor para ele. Depois escolhemos o substituto e gravamos três músicas novas, sempre com Geraldo de acordo", disse Wagner. 

Indenização milionária

Em 29 de janeiro, entrou na Justiça com um pedido de indenização contra Geraldo de R$ 9,1 milhões. Wagner alega que após a saída de Geno da dupla e a não autorização do uso do nome artístico "Geno", ele sofrerá com danos morais e materiais por conta de mais de 100 shows já marcados até o final deste ano. O processo foi aberto no Tribunal de Justiça da 3ª Vara Cível da Comarca de Divinópolis (MG).

"Eu trabalho com a dupla Gino & Geno há 20 anos. Não dá para o Geno dizer que não vai cantar mais. E a relação que construímos juntos? E as famílias? Os shows já marcados? Como ficam os funcionários? Eu quero uma solução pacífica e só entrei com a ação porque não tive outra alternativa", disse Wagner por telefone ao UOL.