Topo

Roger Waters defende Maduro e pede que Trump "deixe os venezuelanos em paz"

Leo Caobelli/UOL
Roger Waters teve o show encurtado pela chuva em Porto Alegre Imagem: Leo Caobelli/UOL

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

04/02/2019 15h45

Roger Waters saiu em defesa de Nicolas Maduro e pediu em suas contas oficiais no Facebook e Twitter que Donald Trump não interfira na vida política dos venezuelanos. O músico divulgou uma mensagem nas redes sociais na noite de domingo (3) declarando claro apoio ao presidente da Venezuela.

Waters acredita que o presidente dos Estados Unidos tem interesse no petróleo do país latino-americano e, por isso, planeja um golpe para enviar suas tropas. "Deixe os venezuelanos em paz, eles vivem uma real democracia", escreveu o ex-líder do Pink Floyd na mensagem, que também leva uma hashtag que chama a ação de Trump de golpe.

A mensagem veio em reação ao desejo de Trump, reiterado no domingo, de enviar militares norte-americanos à Venezuela. Os Estados Unidos apoiam Juan Guaidó, líder da oposição na Venezuela que se declarou o novo presidente do país. Curiosamente o Reino Unido, país natal de Roger Waters, também declarou apoio à Guaidó.

A carreira e a música de Roger Waters são marcadas pela veia politizada. O cantor e baixista é crítico voraz de Donald Trump e do autoritarismo e até enfrentou problemas em sua última passagem pelo Brasil por críticas diretas ao então candidato à presidência Jair Bolsonaro. 

Nos comentários, alguns fãs venezuelanos se mostraram decepcionados com o posicionamento de Waters, justamente por acreditarem que Nicolas Maduro representa o autoritarismo que ele tanto combate.

"Meu maior ídolo da música está defendendo um governo que arruinou meu país e minha família e que me forçou a sair de lá em busca de qualidade de vida. Roger, você não tem ideia do que está acontecendo na Venezuela, você não conhece as nossas leis e não sabe o quão miserável está a atual situação. Isso não é uma questão de esquerda versus direita. Pessoas estão morrendo de fome, temos a maior inflação do mundo, faltam medicamentos, e temos o maior índice de criminalidade da América Latina", explica uma das seguidoras do roqueiro no comentário mais curtido da postagem.

"Entendo que você não goste do Trump, entendo que as políticas e crenças dele são, na maior parte do tempo, questionáveis e erradas. Mas isso não é sobre os Estados Unidos, não é sobre vocês, é sobre nós. E nós precisamos de ajuda", finalizou a venezuela radicada na Romênia.

Mais Rock