Topo

Geek


Shazam e Capitã Marvel: Por que os heróis tiveram o mesmo nome até 2012

Zachary Levi em "Shazam!" e Brie Larson em "Capitã Marvel" - Divulgação/Montagem
Zachary Levi em "Shazam!" e Brie Larson em "Capitã Marvel" Imagem: Divulgação/Montagem

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

29/01/2019 04h00

"Capitã Marvel" estreia nos cinemas no dia 7 de março. Quase um mês depois, "Shazam!" chega às telonas, em 4 de abril. Este vai ser um período curioso para os estúdios da Marvel e da DC, que estarão lançando seus blockbusters, cada um com seu herói, mas que já tiveram o mesmo nome: até 2012, o Shazam da DC era chamado oficialmente de Capitão Marvel.

Entre problemas na justiça, personagens semelhantes e muito dinheiro envolvido, entenda por que Shazam e Capitã Marvel têm muito em comum.

Culpa do Homem de Aço

Tudo começou com Superman. O Homem de Aço estreou nos quadrinhos na "Action Comics #1", publicada pela Detective Comics em 1938. Fez tanto sucesso que, numa leva de editoras tentando se aproveitar do herói, surgiram o Wonderman, o Masterman e o Capitão Marvel.

Capa da HQ "Capitão Marvel", da década de 1940 - Reprodução
Capa da HQ "Capitão Marvel", da década de 1940
Imagem: Reprodução

Este último apareceu pela primeira vez na "Whiz Comicx #2", de 1939, publicada pela Fawcett Comics. Por incrível que pareça, ao contrário dos outros personagens que claramente eram ramificações do Superman, o Capitão Marvel não enfureceu de imediato a Detective Comics.

Entretanto, a gigante dos quadrinhos ficou incomodada ao tentar fazer um live-action do herói. O contrato da Detective Comics com os estúdios da Paramount não permitia que o Superman virasse de carne e osso em um filme da popular produtora Republic Pictures. Já o Capitão Marvel estava disponível.

O projeto se transformou no trabalho mais celebrado da produtora e os quadrinhos do Capitão estavam vendendo muito bem na época. A Detective Comics, enciumada, entrou na justiça contra a Fawcett, mas o processo se arrastou por quase uma década, já que os Estados Unidos ficaram mobilizados pela Segunda Guerra Mundial.

No fim, a Fawcett teve que pagar US$ 400 mil para a Detective Comics e as aventuras do Capitão Marvel foram publicadas pela última vez em 1953.

Marcas registradas vs. direitos autorais

O fato é que uma outra editora não pode usar o nome "Superman" na capa dos seus quadrinhos. Isso seria uma violação da marca registrada do popular herói e seria possível propaganda enganosa ao leitor.

Por outro lado, caso um super-herói extremamente parecido, tanto no enredo quanto no visual, com o que conhecemos do Superman chegue às bancas, mesmo com um nome genérico, ele estará violando os direitos autorais da Detective Comics.

Foi aí que surgiu algo inesperado. Quando a Fawcett abandonou o nome do Capitão Marvel após seu último quadrinho, uma tal de Timely Comics mudou seu próprio nome para Marvel Comics e virou um império. Porém, antes mesmo de Stan Lee e companhia resgatarem Capitão Marvel, a editora M.F. Enterprises lançou um novo super-herói... com o mesmo nome.

Capa da HQ de "Shazam" - Reprodução
Capa da HQ de "Shazam"
Imagem: Reprodução

O personagem bizarro da M.F. --um androide cujo braço desmontava quando ele gritava "split!"-- foi feito para incomodar tanto a DC quanto a Marvel. Um dos vilões, por exemplo, era o Bat, uma lembrança terrível do Homem-Morcego. Foi apenas em 1967 que a Marvel assegurou a marca registrada do Capitão Marvel e conseguiu colocá-lo nos gibis com uma outra origem e visual totalmente diferentes.

"Shazam!"

A DC, vendo seu personagem ganhando um quadrinho próprio na maior rival, bolou um plano. A editora entrou em acordo com a Fawcett para licenciar a versão original do herói em uma nova saga. Já que o enredo era diferente, a única restrição da empresa era esconder o nome do herói na capa dos gibis.

Assim se popularizou "Shazam!", a palavra mágica usada por Billy Batson para virar o poderoso personagem. A DC ainda conseguiu incorporar a frase "o Capitão Marvel original" na frente dos quadrinhos, o que foi importante para atrair mais olhares.

Já a Marvel teria apenas que continuar publicando histórias sobre o seu Capitão Marvel para o nome não ficar abandonado, caso contrário daria margem para a DC usar o nome à vontade.

Como em inglês o nome original "Captain Marvel" não tem distinção de gênero, as possibilidades sempre foram inúmeras, e uma versão feminina do personagem surgiu nos quadrinhos nos anos 80. Porém, a Capitã Marvel que conhecemos bem, a outra identidade de Carol Danvers, acabou aparecendo como a heroína mais forte do mundo apenas em 2012.

No mesmo ano, a DC cansou de disputar o nome do herói/heroína e abraçou a marca registrada "Shazam" em "Liga da Justiça #0". O reboot foi bem recebido pelos fãs, o que levou a empresa a adaptar para os cinemas a história do garoto que vira um super-herói.

Trailer de "Capitã Marvel"

UOL Entretenimento

Trailer de "Shazam!"

UOL Entretenimento