PUBLICIDADE
Topo

"Creed 2": Como Sylvester Stallone se despede de Rocky Balboa após 43 anos

Sylvester Stallone em cena de "Rocky, um Lutador" (1976) - Reprodução
Sylvester Stallone em cena de "Rocky, um Lutador" (1976) Imagem: Reprodução

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

27/01/2019 04h00

A aposentadoria chega para todos, até para o maior boxeador da história do cinema, que apareceu pela primeira vez nas telonas em "Rocky" (1976).

Sylvester Stallone garantiu em entrevistas que "Creed 2" marca a despedida de Rocky Balboa, mas o adeus ao ícone dos filmes de ação acontece em grande estilo.

"Creed 2", em cartaz nos cinemas, mostra o ex-atleta já mais velho, com problemas familiares e tendo que enfrentar mais uma vez o seu grande inimigo, aquele que matou o seu melhor amigo.

Descubra a seguir como Stallone se despede de Rocky após 43 anos.

Personagem secundário

Sylvester Stallone interpreta Rocky Balboa e Michael B. Jordan é Adonis Creed, em cena do filme "Creed 2" - Divulgação - Divulgação
Sylvester Stallone interpreta Rocky Balboa e Michael B. Jordan é Adonis Creed, em cena do filme "Creed 2"
Imagem: Divulgação

Rocky não é o personagem principal de "Creed 2" -- e ele nem se importa em ser coadjuvante. O mote do filme é mostrar que uma nova geração está chegando, tanto para o protagonista Adonis "Creed" Johnson (Michael B. Jordan) quanto para o seu rival, Viktor Drago (Florian Munteanu). 

Mesmo não carregando a missão de ser a estrela, Stallone é a alma do filme. Ele é o treinador do filho daquele que foi seu melhor amigo, Apollo Creed, e um mentor para o jovem, que está passando pelos dramas e pela fama que Rocky vivenciou nas décadas passadas.

Enfrentando seu inimigo 

Sylvester Stallone e Dolph Lundgren em cena de "Rocky IV" (1985) - Reprodução - Reprodução
Sylvester Stallone e Dolph Lundgren em cena de "Rocky IV" (1985)
Imagem: Reprodução

"Creed 2" já carregaria um ar nostálgico apenas por Stallone, mas o retorno de Ivan Drago (Dolph Lundgren) muda completamente o ritmo da jornada.

O responsável por matar Apollo em "Rocky IV" (1985) -- soltando a famosa frase "se morrer, morreu" -- planeja a vingança por ter perdido o "respeito, a mulher e a pátria" desde a derrota para Rocky. 

Os velhos inimigos não entram no ringue, para a decepção dos fãs, mas isto é mais uma prova de como "Creed 2" é um drama peculiar que não cai nos clichês do gênero apenas para atrair público. Ainda assim, a primeira vez que Stallone e Lundgren dividem as telonas como Rocky e Drago após 24 anos é tensão pura e a "encarada" final é ainda melhor.

Velho e com saudades de Adrian

Sylvester Stallone e Talia Shire em "Rocky, um Lutador" (1976) - Reprodução - Reprodução
Sylvester Stallone e Talia Shire em "Rocky, um Lutador" (1976)
Imagem: Reprodução

Rocky já passou dos 70 anos, está cansado e o que mais sente falta da sua vida é de Adrian. O amor da vida dele morreu em 2002 de câncer de ovário, e a personagem vivida por Talia Shire na franquia sempre é lembrada no novo projeto.

O ex-atleta se sente muito solitário sem Adrian, e não teve ninguém ao seu lado quando enfrentou um linfoma, se recusando a passar por quimioterapia, já que o tratamento não foi suficiente para salvar a esposa.

Stallone ganhou o Globo de Ouro em 2016 de melhor ator coadjuvante por "Creed" (2015), e impressiona novamente no papel por parecer que carrega o mundo nas costas. Rocky é considerado um herói, mas seus ombros são caídos, seu ar é triste e as noites eternas em seu restaurante vazio só provam sua infelicidade.

Problemas familiares

Sylvester Stallone e Milo Ventimiglia em cena de "Rocky Balboa" (2006) - Reprodução - Reprodução
Sylvester Stallone e Milo Ventimiglia em cena de "Rocky Balboa" (2006)
Imagem: Reprodução

Assim como vimos em "Creed", Rocky continua sem ter uma boa relação com o filho Robert (Milo Ventimiglia). Vivendo sozinho, o viúvo cuida de um restaurante e o seu retorno para o boxe foi importante para que ele ocupasse a cabeça com aquilo que fez melhor na vida.

Em muitos momentos, o ex-boxeador retrata o paradoxo do ídolo: considerado quase um deus por muitos e com a vida pessoal despedaçada. A tentativa de conciliação com o filho acontece depois de muito tempo, o suficiente para que ele conheça o seu neto.

Claro que ele troca alguns socos

Sylvester Stallon em cena de "Creed 2" - Reprodução - Reprodução
Sylvester Stallon em cena de "Creed 2"
Imagem: Reprodução

Balboa é o mentor de Adonis "Creed" Johnson, mas é inevitável que uma hora ou outra ele distribua alguns socos durante os treinamentos. A nostalgia fica ainda maior quando ele se lembra de momentos que aconteceram nos filmes anteriores, e é divertido entrar neste universo compartilhado de Rocky.

Mesmo mais lento pela idade, Stallone manteve a forma e isso se reflete no filme. Em uma das melhores cenas, ele e o seu pupilo treinam no deserto sob um calor intenso, tudo para se preparem para a luta que vai vingar de uma vez por todas Apollo Creed.

Trailer de "Creed 2"

UOL Entretenimento