PUBLICIDADE
Topo

Diretor do "Caça-Fantasmas" de 2016 comenta novo filme: "Desapontado"

Cena do filme "Caça-Fantasmas" (2016), de Paul Feig - Reprodução
Cena do filme "Caça-Fantasmas" (2016), de Paul Feig Imagem: Reprodução

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

22/01/2019 09h02

Paul Feig, que dirigiu o longa-metragem de "Caça-Fantasmas" estrelado por um time feminino de comediantes, lançado em 2016, saiu em defesa de uma de suas atrizes no Twitter.

Leslie Jones provocou polêmica durante o fim de semana ao reagir à notícia de que Jason Reitman ("Juno") está preparando um novo filme da franquia "Caça-Fantasmas" que deve ignorar totalmente os acontecimentos do de 2016.

Jones classificou o filme como "totalmente insultante". "É como dizer: 'F**-se elas. Elas não contaram'. É algo que [Donald] Trump faria. Imagine Trump falando: 'Vou refazer 'Caça-Fantasmas', mas melhor, com homens, vai ser enorme. Aquelas mulheres não são Caça-Fantasmas'. Tão irritante", escreveu.

A comediante foi atacada por fãs da franquia por seu desabafo, mas Feig a defendeu: "Honestamente, esses trolls não param com essa merda. Leslie disse a sua verdade, e eu a apoio. Eu estou muito aberto à nova versão de 'Caça-Fantasmas' de Jason, mas também desapontado que o nosso time pode nunca mais aparecer de novo".

"Estamos para sempre orgulhosos do nosso filme", completou Feig. Além de Jones, o time feminino de "Caça-Fantasmas" reunido pelo diretor incluía Kate McKinnon, Melissa McCarthy e Kristen Wiig, que ainda não se pronunciaram sobre o novo projeto da franquia.

O filme de 2016 foi motivo de polêmica por causa de ataques machistas sofridos por Jones e pelas outras atrizes antes mesmo do lançamento nos cinemas. Cercado por controvérsia, o longa acabou indo mal nas bilheterias, arrecadando apenas US$ 226 milhões ao redor do mundo.