PUBLICIDADE
Topo

Após ser processada por Mariah Carey, ex-assistente revida com outro processo

Mariah Carey se apresenta no American Music Awards, em Los Angeles - Kevin Winter/Getty Images For dcp
Mariah Carey se apresenta no American Music Awards, em Los Angeles Imagem: Kevin Winter/Getty Images For dcp

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

17/01/2019 09h23

A cantora Mariah Carey processou nesta quarta-feira (16) sua ex-assistente, Lianna Shakhnazaryan, acusando-a de quebra de acordo de confidencialidade, negligência e roubo. De acordo com o site TMZ, Liana, que trabalhou com Carey entre 2015 e 2017, ameaçou divulgar vídeos "embaraçosos" a menos que a cantora pagasse US$ 8 milhões.

Horas após a notícia do processo movida por Carey, Lianna revidou com outro processo, acusando a cantora por rescisão injusta, retaliação, falha em evitar discriminação, inclusive racial, e assédio. Além de violação de pacto de boa-fé, falta de pagamento de salários após vencimento, quebra de contrato verbal e imposição intencional de sofrimento emocional.

No processo, Lianna disse que tinha um contrato oral para receber US$ 328.500 por ano e que ela precisou "atender a demandas constantes de grande magnitude e, muitas vezes, em prazos incrivelmente curtos.

Lianna acusa também a ex-empresária de Carey, Stella Bulochnikov. Segundo ela, Stella a xingou de "prostituta armênia"e foi submetida a atos de abuso físico, como tapas nas nádegas e seios e derrubada no chão. Ela diz que o comportamento de Stella tinha conhecimento de Carey, já que foi feito em sua presença e com sua permissão.