Topo

Geek


Dublador de Shun estranha personagem ter virado mulher em "Os Cavaleiros do Zodíaco"

Shun de Andrômeda menino, no anime "Os Cavaleiros do Zodíaco", e menina, na versão da Netflix - Montagem/UOL/Reprodução
Shun de Andrômeda menino, no anime "Os Cavaleiros do Zodíaco", e menina, na versão da Netflix Imagem: Montagem/UOL/Reprodução

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

11/12/2018 04h00

A mudança de gênero de Shun de Andrômeda, principal polêmica da nova animação de "Os Cavaleiros do Zodíaco" para a Netflix, também confundiu o dublador Ulisses Bezerra, que empresta sua voz ao herói há 24 anos. Pela primeira vez, ele fica de fora da versão brasileira do anime porque seu personagem, na plataforma de streaming, é uma mulher.

"Nada contra as mulheres, mas é como se fizessem um 'Homem-Maravilha' ou colocassem uma mulher entre os Três Mosqueteiros. Para mim, é estranho. Acho que não muda a história ter a presença feminina. Pode-se valorizar a mulher em outros aspectos. Eu 'mudaria' até o Seiya", analisa o dublador em entrevista ao UOL.

Shun de Andrômeda é mulher em nova versão de "Os Cavaleiros do Zodíaco" para a Netflix - Reprodução/Netflix
Shun de Andrômeda é mulher em nova versão de "Os Cavaleiros do Zodíaco" para a Netflix
Imagem: Reprodução/Netflix

Lançado pela Netflix durante a CCXP 2018 (Comic Con Experience), no último sábado (8), o trailer de "Os Cavaleiros do Zodíaco" recebeu mais de 29 mil curtidas e 15 mil "dislikes", e a maioria dos comentários é de fãs revoltados com a mudança de gênero de Shun. O roteirista da animação, Eugene Son, explicou no Twitter por que o Cavaleiro de Andrômeda, na nova versão, é uma mulher.

"A série sempre teve personagens femininas fortes, dinâmicas e fantásticas, o que se reflete no número de mulheres que são apaixonadas pelo mangá e anime. Mas, 30 anos atrás, um grupo de caras combatendo para salvar o mundo, sem nenhuma garota por perto, não era raro. Era o padrão. Hoje em dia, o mundo é diferente. Rapazes e garotas lutando lado a lado é o padrão", justificou.

Para Ulisses, a mudança de gênero de Shun mexe com um mistério em "Cavaleiros": a sexualidade do personagem. O cavaleiro, sensível e com traços femininos, pode ser considerado "andrógeno". No Ocidente, porém, é visto como gay, embora isso nunca tenha sido confirmado no anime.

Ulisses Bezerra com uma cosplayer de Shun - Reprodução/Instagram
Ulisses Bezerra com uma cosplayer de Shun
Imagem: Reprodução/Instagram

"Já conheci fãs homossexuais que o adoravam. Não há uma cena que mostra que ele é [gay]. Quem faz isso são os fãs mais velhos. A molecada vê que o Shun doou a vida pela do amigo. Quem tem maldade só vê o Shun em cima do Hyoga na Casa de Libra", afirma o dublador, citando uma cena em que o Cavaleiro de Andrômeda deita sobre o amigo para aquecê-lo e salvar a vida dele.

Outra mudança de gênero em "Os Cavaleiros do Zodíaco" aconteceu no filme "A Lenda do Santuário" (2014), em que o personagem Milo, Cavaleiro de Ouro de Escorpião, era uma mulher.

Shun terá voz de dubladora de Naruto

Apesar de estar fora da versão da Netflix, Shun continuará em família no Brasil. Úrsula Bezerra, irmã de Ulisses, dublará a guerreira de Andrômeda. Ela é conhecida por emprestar sua voz a outros personagens famosos dos animes, como Goku criança, em "Dragon Ball", e Naruto.

Os outros quatro protagonistas mantiveram suas vozes clássicas: Hermes Baroli é Seiya de Pégaso, Elcio Sodré é Shiryu de Dragão, Francisco Bretas é Hyoga de Cisne, e Leonardo Camilo é Ikki de Fênix.

Procurada pelo UOL, Úrsula Bezerra disse que não pode falar sobre "Os Cavaleiros do Zodíaco" porque assinou um contrato de confidencialidade com a Netflix.