PUBLICIDADE
Topo

Bono, do U2, ironiza Bolsonaro em show: Carnaval vai virar parada militar

Bono, líder do U2, criticou Donald Trump e Jair Bolsonaro em show na Irlanda do Norte - Vianney Le Caer/Invision/AP
Bono, líder do U2, criticou Donald Trump e Jair Bolsonaro em show na Irlanda do Norte Imagem: Vianney Le Caer/Invision/AP

Osmar Portilho

Do UOL, em São Paulo

29/10/2018 12h11

Durante a turnê do U2 "Experience & Innocence", Bono tem usado o personagem MacPhisto, uma espécie de demônio de cartola para atacar a política internacional. Na noite desse domingo (28), em Belfast, na Irlanda do Norte, o discurso do músico citou também Jair Bolsonaro, eleito presidente do Brasil.

"O que estão olhando, Belfast? Nunca viram um político antes? Os demônios de MacPhisto estão tomando o poder ao redor do mundo. Meu tipo de pessoa, como Donald [Trump], fazendo a América odiar de novo. Meu bonitão filipino, Rodrigo Duterte. Até hoje, neste dia de eleição. Duzentos milhões de pessoas prestes a ter seu Carnaval transformado numa parada militar por um homem chamado Capitão Bossa Nova. Bolsonaro, não esqueçam o nome. Muitos nomes, mas apenas um rosto. O meu", disse o irlandês.

Leia mais:

"E lembre-se, Belfast. É quando você não acredita que eu existo que eu faço meu melhor trabalho", completou o músico.

Na sequência, o quarteto emendou a canção "Acrobat", do álbum "Achtung Baby", de 1991.