Topo

Pop


Traficante confirma que deu pílulas ilegais a Demi Lovato: "Ela sabia"

Miguel Riopa/AFP
Demi Lovato durante seu show no Rock in Rio Lisboa, em junho Imagem: Miguel Riopa/AFP

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

27/08/2018 07h39

O homem que supostamente deu as drogas que causaram a overdose de Demi Lovato falou ao site "TMZ" e afirmou que a cantora sabia que estava tomando substâncias ilegais - e muito mais fortes que medicamentos comuns. Brandon Johnson concedeu uma entrevista em vídeo ao site e deu sua versão da história.

Johnson afirmou que foi chamado às 4h da madrugada por Demi Lovato e que, quando ela fazia essas ligações, era por querer as substâncias que ele costuma fornecer.

Reprodução/TMZ
Brandon Johnson é quem supostamente forneceu drogas a Demi Lovato Imagem: Reprodução/TMZ

O traficante afirmou que eles tinham uma relação de amizade que às vezes chegava ao sexo, e que naquela madrugada, em específico, assistiu a programas de TV com a cantora e lhe forneceu as drogas.

"Ela me mandou uma mensagem às quatro da manhã, porque ela é uma garota e ela queria se drogar. Por que mais alguém ligaria pra um cara às quatro da manhã?", disse ele, ao "TMZ". "Nós ficamos juntos, assistimos programas de detetives, como era comum... Ela às vezes tinha dias tão longos e trabalhos tão estressantes..."

Questionado se Demi sabia o que estava tomando, ele confirmou, apesar de dizer que não sabia exatamente o que estava misturado nas pílulas: "Ela sabia 100% o que estava tomando. Eu expliquei para ela que eram [pílulas] não farmacêuticas, que eram pílulas ilegais e muito mais fortes. Ela entendeu completamente."

"É algo infeliz o que aconteceu, mas as pessoas acharem que houve alguma má conduta da minha parte é absolutamente ridículo. Não estou aqui para machucar ninguém. Eu ligo muito para ela, ela importa para mim. Foi algo que aconteceu, foi algo infeliz", afirmou ele, que diz que ela estava um pouco bêbada quando ele chegou, mas que não notou mais nada fora da normalidade. 

Sobre as acusações de que abandonou o local quando viu que ela tinha uma overdose, Johnson negou: "Ela dormiu, como sempre acontece. Nós ficamos juntos, fazemos o que temos para fazer e ela dorme. Era 7 ou 8 da manhã, ela dormiu e eu saí, como faço sempre. Coloquei suas cobertas e saí."

LEIA TAMBÉM

Falando sobre o futuro, ele não indicou se o caso o deixou alertado sobre sua própria atuação, mas disse desejar melhoras à cantora. "Definitivamente é um alerta para acordar, para ela, obviamente. Para mim abre os olhos para os perigos dessas drogas. Elas são divertidas, mas nas mãos erradas e com uso errado elas podem machucar. Eu odeio que tenha machucado alguém, não quero machucar minha amiga, ela é minha amiga. Espero que ela saia dessa melhor do que era antes."

Demi Lovato foi encontrada em sua casa, desacordada, próximo das 11h da manhã e teve de ser hospitalizada. Segundo o "TMZ" as drogas dadas a ela eram uma mistura de oxicodona com fentanil - dois potentes anestésicos.

Veja a entrevista, em inglês:

Newsletters

Receba por email as principais notícias do UOL sem pagar nada.

Quero receber

Mais Pop