PUBLICIDADE
Topo

Rogério Flausino é condenado a pagar indenização por ofensas a dupla sertaneja

Rogério Flausino em show do Jota Quest no Rock in Rio - Roberto Filho/Brazil News
Rogério Flausino em show do Jota Quest no Rock in Rio Imagem: Roberto Filho/Brazil News

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

24/07/2018 09h21

O vocalista do Jota Quest, Rogério Flausino, foi condenado a pagar uma indenização de R$ 50 mil por danos morais a uma dupla sertaneja. Segundo decisão do juiz Eron Simas, da 1ª Vara Cível de Campos dos Goytacazes (RJ), ele foi considerado culpado por ter xingado Nycolas e Fabyane durante uma apresentação na 57ª Exposição Agropecuária e Industrial do Norte Fluminense, em julho de 2016. Como a condenação é em primeira instância, ainda cabe recurso.

De acordo com o que consta no processo, Nycolas e Fabyane iniciaram o seu show em um camarote após terem a informação de que a apresentação do Jota Quest havia sido encerrada, quando Flausino e seus companheiros retornaram ao palco para um bis. O momento foi gravado e divulgado em redes sociais por parte do público presente.

“Entretanto, cerca de 2 minutos depois, ainda na primeira música, notaram que o público estava fazendo sinais. Ao retirarem os fones de ouvido, ouviram gritos e xingamentos. Perceberam, então, que os integrantes do Jota Quest haviam retornado ao palco principal e que os gritos e xingamentos eram proferidos pelo vocalista da banda (...). Disseram que foram discriminados, injuriados e humilhados na presença de milhares de pessoas, fato que repercutiu na imprensa”, diz o processo.

Os advogados da dupla pediram R$ 1 milhão em indenização.

O Jota Quest afirmou que saiu do palco apenas para o bis e que, ao voltar e flagrar a dupla iniciando seu show, teria tentado parar a apresentação, “mas não foi atendido, razão pela qual ‘se queixou da postura’ da dupla, ‘fazendo em linguagem talvez pouco adequada’, mas legítima ante a postura invasiva dos autores, sem a intenção de lhes ofender.”

Um vídeo mostra o final dos xingamentos:

O juiz responsável pelo caso considerou Rogério Flausino e a produtora Jota Quest Produções Artísticas e Fonográficas Ltda culpados, mas reduziu o valor da pena por danos morais a R$ 25 mil por cada integrante da dupla.

"Na concreta situação em exame, exsurge indubitável o dano moral sofrido pelos acionantes, decorrente dos xingamentos que lhes foram dirigidos pelo réu Rogério Flausino durante show na 57ª Exposição Agropecuária e Industrial do Norte Fluminense, fato presenciado por todo o público presente no local e, sem dúvidas, tem o condão de macular a honra e a imagem da dupla sertaneja", diz a decisão.

LEIA TAMBÉM

Ao UOL, Nycolas afirmou que está satisfeito com a sentença. "Pra gente, se dá como encerrado. Não temos pretensão de prolongar o processo. Acho que foi uma decisão justa, o juiz foi feliz na sentença", afirmou o sertanejo, que culpa uma falha de comunicação para o caso.

Dupla Nycolas e Fabyane - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
A dupla Nycolas e Fabyane
Imagem: Reprodução/Facebook

"Fomos contratados para tocar num camarote, e pediram para começar assim que o Jota Quest acabasse o show. Estávamos assistindo, vimos ele se despedindo, o palco apagou. E pediram para começar imediatamente, como forma de chamar o pessoal da pista para o camarote. No meio da música percebemos que o público estava fazendo sinais. Pedimos para parar, tiramos o fone e começamos a ouvir os xingamentos. Na hora foi bastante constrangedor, porque tinha família no camarote", descreveu Nycolas.

A reportagem tentou contato com a assessoria de imprensa do Jota Quest, mas ainda não obteve resposta.