PUBLICIDADE
Topo

Chris Pratt e Zoe Saldana tuítam após demissão de James Gunn, mas pouco falam

Dave Bautista, Zoe Saldana e Chris Pratt em cena de Os Guardiões da Galáxia - Divulgação
Dave Bautista, Zoe Saldana e Chris Pratt em cena de Os Guardiões da Galáxia Imagem: Divulgação

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

23/07/2018 07h58

Duas das grandes estrelas da saga "Guardiões da Galáxia", Chris Pratt e Zoe Saldana usaram seus perfis no Twitter para quebrar o silêncio após a demissão de James Gunn, que dirigiria o "Volume 3" da série de filmes. Ambos falaram pouco e não deixaram transparecer uma opinião sobre o ocorrido, apesar de indicarem uma posição de defesa a Gunn.

Pratt usou um versículo para falar, pela primeira vez, desde que Gunn foi demitido por causa de antigos tuítes com piadas sobre estupro e pedofilia. "Entendam isso, meus amados irmãos e irmãs. Que toda pessoa seja rápida para escutar, lenta para falar e lenta para sentir ira", escreveu o ator, que interpreta o Senhor das Estrelas.

Dave Bautista, que faz o Drax, comentou: "Belas palavras".

Já Zoe Saldana fez uma reflexão mais introspectiva e pediu tempo para se posicionar. "Foi um fim de semana de desafios, não vou mentir. Eu estou fazendo uma pausa para refletir antes de me posicionar. Eu só quero que vocês saibam que eu amo todos os integrantes da minha família dos Guardiões da Galáxia. Sempre amarei", escreveu a atriz que interpreta Gamora.

Bautista também opinou no post da colega: "Quando chegar a hora, você falará com o coração, como sempre faz. Até lá, nós somos Groot. Amo você, hermana".

O ator de Drax já havia falado anteriormente sobre o direto. "Eu terei mais a dizer, mas agora vou dizer isso: James Gunn é uma das pessoas mais amáveis, afetuosas e de bom coração que já conheci. Ele é doce, gentil e se importa muito com as pessoas e os animais. Ele cometeu erros. Todos nós cometemos. Eu não concordo com o que está acontecendo com ele."

O diretor publicou, no passado, comentários em que fazia piadas com estupro e pedofilia. Ele pediu desculpas, mas isso não o impediu de ser afastado do trabalho no terceiro filme dos "Guardiões". "As atitudes ofensivas e comentários descobertos no Twitter de James são indefensáveis e inconsistentes com os valores do nosso estúdio, por isso encerramos nossos negócios com ele", disse Alan Horn, chefão da Disney, em comunicado oficial.