PUBLICIDADE
Topo

Após 29 anos, ainda precisamos de "Os Simpsons"?

Cena da 29ª temporada de "Os Simpsons" - Divulgação
Cena da 29ª temporada de "Os Simpsons" Imagem: Divulgação

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

17/05/2018 04h00

Uma das animações mais longas da televisão, "Os Simpsons" está no ar há quase 30 anos entre erros, acertos e polêmicas. Após tanto tempo, Homer, Marge, Lisa, Bart e Maggie ainda têm o que mostrar para entreter ou vive apenas da fama acumulada na cultura pop?

A 29ª temporada estreia nesta segunda-feira (21) na FOX, às 22 horas, com todos os pontos que nos fizeram idolatrar o desenho: cada personagem tem a sua característica marcante, as piadas funcionam e as introduções certeiras de detalhes do mundo pop e político ainda são surpreendentes. Para se ter como exemplo, o primeiro capítulo da nova temporada tem referências a "Game of Thrones" e "O Senhor dos Anéis", além de uma discussão religiosa do que acontece quando morremos e um debate histórico sobre luta de classes. Ufa!

Leia também:

Ainda assim, sinais de cansaço poderão ser vistos nesta temporada, principalmente com a polêmica com o indiano Apu. Para quem não se lembra, um documentário ("The Problem With Apu") criticando a forma como o personagem é representado na série reacendeu a discussão de como "Os Simpsons" escorrega em certos aspectos, sendo acusado de xenofobia e preconceito.

Matt Groening, criador da animação, jogou litros de gasolina na fogueira ao afirmar que "vivemos em uma época na nossa cultura em que pessoas amam fingir que estão ofendidas". E a resposta não parou por aí. Lisa também dá bronca no 15º episódio desta nova temporada: “É difícil dizer, algo que começou décadas atrás e foi aplaudido e considerado inofensivo agora é politicamente incorreto. O que se pode fazer?”, diz Lisa, com uma foto de Apu em seu criado-mudo, olhando para a “câmera”.

O episódio foi ao ar nos Estados Unidos no dia 8 de abril de 2018, e o que causou ainda mais estranhamento foi os produtores usarem justamente Lisa, a personagem mais avançada politicamente da série, para reiterar um preconceito contra uma comunidade cada vez maior e que está cansada de ser representada de forma jocosa.

Revolucionário na década de 80, mas e agora?

"Os Simpsons" surgiu com uma proposta inovadora de apresentar como protagonista um "anti-herói" patriarca que você odeia amar. Homer é preconceituoso, sincero até demais e preguiçoso, mas que no fim faz a coisa certa. Desta mesma fonte, várias animações consideradas da "vida real" vieram na sequência e também conseguiram conquistar seu espaço -- "Família da Pesada" já vai para a 17ª temporada!

É inevitável assistir à família amarelada e não acreditar que ali estão retratados muitos pais norte-americanos que realmente acreditam que no Brasil só tem macacos e que seus vizinhos muçulmanos com certeza são terroristas esperando o momento para mandar Springfield pelos ares. Esta é a crítica principal de Matt Groening, que tira sarro primeiro dos próprios compatriotas para salientar a cultura egocêntrica dos Estados Unidos.

Entretanto, três décadas depois, o mundo não é mais o mesmo e piadas sobre determinadas culturas não são mais encaradas da mesma forma que nos anos 90. Um exemplo é quando os Simpsons voltaram ao Brasil para a Copa do Mundo 2014, em que um macaco estampava o logo da marca de avião e uma freira ficava de biquíni sem mais nem menos no estádio brasileiro.

Lisa e Marge em cena da 29ª temporada de "Os Simpsons" - Divulgação - Divulgação
Vida solitária de Lisa vira tema de HQ escrita por Marge em episódio da 29ª temporada de "Os Simpsons"
Imagem: Divulgação

Só que o acerto de Groening e companhia, que é o que carrega o legado dos Simpsons e faz com que tenhamos interesse de ver a série, é o manejo com temas atuais. No mesmo episódio descrito no parágrafo anterior eles brincam que Neymar é cai-cai e que Brasília é um antro do suborno e da corrupção. Na 28ª temporada, a família ganhou uma versão fantástica de "Hora de Aventura" e anteriormente até "The Big Bang Theory" foi citada para fazer a tradicional introdução do episódio.

Desde a eleição de Donald Trump para presidente dos Estados Unidos, o Simpsons não economizou em críticas e não tem medo de colocar o dedo na ferida. O empresário é representado como uma pessoa esnobe, irracional e que tem, literalmente, um cachorro como cabelo. Intercalado ao tema, filmes e séries que estão na boca do povo, participações especiais, temas pessoais e o carisma dos próprios personagens (principalmente dos secundários, como os hilários Barney, Ralph e o policial Clancy) viram motes para a talentosa equipe de redatores.

Serviço:

"Os Simpsons" - 29ª temporada

Quando: Segunda-feira (21)
Horário: 22 horas
Onde: Fox
*A partir do domingo (20), às 20h, o canal exibe uma maratona com 28 episódios icônicos da animação de "esquenta"

Truck itinerante temático:

*Para celebrar a estreia brasileira da nova temporada de “Os Simpsons", um truck itinerante com a reprodução da sala vai rodar a cidade de São Paulo em pontos específico para os fãs terem o gostinho de sentar no sofá de Homer.

Programação:
. Quinta, dia 17 de maio
14h30 às 17h00: Drogaria S.Paulo/Faria LimaXCidade Jardim (Av. Brig Faria Lima, 2812).
. Sexta, dia 18 de maio
16h00 às 17h30: Q Bazar Faria Lima (Av. Brig. Faria Lima, 1884)
18h00 às 21h30: Faculdades Anhembi Morumbi – Vila Olímpia (R. Casa do Ator, 275)
. Sábado, dia 19 de maio
12h00 às 18h00: Parque da Juventude (Av. Cruzeiro do Sul, 2630)
. Domingo, dia 20 de maio
10h00 às 16h00: Parque Villa Lobos (Av. Prof. Fonseca Rodrigues, 2001)