Topo

Filmes e séries

Reação a episódio dos Simpsons mostra que público não aceita mais estereótipos

Reprodução
Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

10/04/2018 13h48

O mundo está mudando, e cabe a quem o retrata aprender e se adaptar às mudanças. Uma polêmica envolvendo os Simpsons mostra isso. Neste fim de semana, um episódio da série gerou burburinho por falar sobre o tratamento estereotipado do personagem indiano Apu. O tema já vinha sendo debatido desde que um documentário acusou Apu de ser racista. E a fraca resposta dos Simpsons reacendeu a polêmica.

No fim de 2017, Hank Azaria, o ator branco que faz a voz de Apu cheia de sotaque para a TV dos Estados Unidos, falou sobre o documentário “The Problem With Apu”, produzido por Hari Kondabolu, um comediante de família asiática, e lançado no fim do ano. “Eu acho que o documentário entrou em uns pontos interessantes, nos deu muito a pensar e estamos refletindo sobre isso”, disse Azaria, que ainda adicionou ter se entristecido com a situação.

No último domingo, “Os Simpsons” deram sua resposta via desenho animado. Em uma das cenas, Marge Simpson se senta à cama com Lisa e lê um livro com ela. Lisa reclama da mensagem antiquada passada na história. “O que posso fazer?”, diz Marge.

“É difícil dizer, algo que começou décadas atrás e foi aplaudido e considerado inofensivo agora é politicamente incorreto. O que se pode fazer?”, diz Lisa, com uma foto de Apu em seu criado-mudo, olhando para a “câmera”. Marge adiciona: “Algumas coisas tem de ser enfrentadas mais tarde”. E Lisa conclui: “Se é que serão”.

Os telespectadores não engoliram. Alguns citaram que Lisa, geralmente a voz mais responsável e o centro da moral do programa, ficou em cima do muro.

Outros lembraram o que o documentário sobre o personagem indiano traz. Principalmente ao lembrar como um ator branco virou a voz de um indiano, caçoando do sotaque dos asiáticos. “Tudo sobre Apu é uma piada recorrente. A piada é que ele é indiano.”

Kondabolu tuitou, após o episódio de domingo: “Uau. Politicamente incorreto? Isso é o que apreenderam do meu filme e do debate? Cara, eu realmente amava esse seriado. Isso é triste”, lamentou Kondabolu. “Eu usei Apu e os Simpsons como ponto de entrada em uma conversa mais ampla sobre representatividade de grupos marginalizados e essa é a importância. Os Simpsons não deram um golpe em mim, mas no que muitos de nós consideramos progresso.”

Outro seriado já tratou este tema, e com indianos. Em “Master of None”, o criador e ator Aziz Ansari questiona em diversos momentos por que atores não indianos são chamados para interpretar indianos -- quando ele próprio está disponível para isso.

A repercussão, principalmente na internet, mostra que os Simpsons não entenderam, ou foram indiferentes à crítica, até porque ela não é apenas sobre como Apu é retratado, mas como ele é visto pelos telespectadores, como se as piadas sobre indianos ainda fossem cabíveis.

"O fato de Lisa ter sido quem acabou com uma conversa legítima sobre Apu é a parte mais nojenta disso", disse a jornalista Dana Schwartz. "Eles fizeram tão de má vontade, que escolheram o personagem mais provável para fazer isso", concordou a internauta Miranda George. Houve quem defendesse: "Gostei como vocês lideram com esse nonsense. As pessoas só querem chorar hoje em dia. Ah, e eu sou indiano", disse o internauta Vikram662. 

Em 2015, outro episódio de Simpsons havia falado sobre o tema: nele, o estereótipo de indiano é rebatido quando um chef italiano aparece, com sua mulher atrás, batendo em sua cabeça com uma colher. Os criadores da série queriam dizer que fazem humor com todos. Mas isso acaba deixando de fora um sentimento legítimo dos indianos, que se sentem humilhados e mal representados entre os americanos. Isso quando não são chamados justamente de... Apu. A Itália, por outro lado, é mostrada com suas qualidades, sua riqueza, ganha papéis de destaque no cinema e até Oscars.

De acordo com o documentário de Kondabolu, Apu foi criado por acaso. Ele seria só um vendedor sem nome. Então, Hank Azari leu sua fala com um sotaque indiano. E assim ficou, o vendedor virou um indiano, agradando à equipe - formada quase que apenas de homens brancos.

Com a nova menção ao problema com Apu, ficou para muitos a expectativa de que se nem Lisa Simpson pôde contra-argumentar e mostrar que os indianos merecem o mínimo de respeito, o debate dos estereótipos ainda está longe de acabar. Mas os telespectadores deram seu recado.