PUBLICIDADE
Topo

Fãs respondem: por que Katy Perry é a rainha acessível?

Fãs vão ao show de Katy Perry em São Paulo com fantasias parecidas com os figurinos da cantora - Mariana Pekin/UOL
Fãs vão ao show de Katy Perry em São Paulo com fantasias parecidas com os figurinos da cantora
Imagem: Mariana Pekin/UOL

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

17/03/2018 20h06

Katy Perry faz neste sábado (17) o segundo show da "Witness: The Tour" no Brasil. No Allianz Parque, em São Paulo, os fãs estão preparadíssimos para receber a "rainha humilde", posto que Katy Perry ganhou por seu carisma, simpatia e interação constante com os que admiram o trabalho dela.

Muitos deles vieram fantasiados, e por um motivo especial. Além de promover o "meet & greet" (encontro que permite uma foto com o artista) sem cobrar a mais por isso, a cantora envia pessoas da produção para a pista para escolher alguns sortudos para conhecê-la antes do show. E aqueles com os figurinos mais chamativos obviamente têm uma atenção extra.

É o caso de Igor Rodrigues, fã de 21 anos que veio com uma excursão do interior de São Paulo. Ele montou uma fantasia com comidas, bichos e frutas, bem ao estilo "Bon Appetit", para ter uma chance. "Quando eu não tinha ninguém para conversar eu me inspirava ouvindo as músicas dela. O jeito que ela se comunica com os fãs faz de Katy Perry uma das artistas mais acessíveis. Meu figurino é uma homenagem a todas as eras dela. Ela me ajudou nos momentos que eu mais precisei", conta o morador de Ribeirão Preto que é fã desde os 8 anos.

Leia também:

Outra pessoa que se diz ajudada por Katy Perry é sua sósia, a social media Aline Peralta, 31. Ela conta que conhece Katy Perry desde o início da carreira dela, em 2008, quando amigos contaram que tinha uma cantora pop nova muito parecida com ela.

"Ela me inspirou muito em várias fases da minha vida, inclusive na questão de autoestima, de ansiedade e tudo mais. As músicas dela me elevam, me deixam felizes. Só de ter essas pessoas aqui me tietando, isso já me deixa muito feliz", conta. "Ela sabe de onde ela veio, ela sabe que foram essas pessoas (os fãs) que trouxeram ela até aqui, e que sem eles ela não é ninguém. As pessoas movem ela. A humildade dela vem muito de família também, ela tem uma estrutura boa, é o principal pilar", acredita a Katy Perry paulistana.

Se as pessoas movem Katy, ela também tem o mesmo poder. Matheus Xavier, 19, saiu de Assunção, no Paraguai para ver o show em São Paulo. "Ela tem muito carisma, você vê que o que ela está passando é realmente sincero."

Arthur Ribeiro, 19, vê a empatia de Katy Perry como uma de suas maiores qualidades. "Ela tenta sempre se colocar no lugar dos outros. Ela vai fazer um show beneficente lá na cidade dela,  Santa Barbara, na Califórnia, onde teve um desastre ambiental. Ela também apoiou a Ariana Grande depois do atentado. Então ela sabe se colocar no lugar dos outros. Ela se preocupa com a saúde mental dos fãs, vive postando coisa sobre isso. Até mesmo nos shows,  se o segurança barra algum fã ela chama a atenção. Até mesmo o meet & greet que ela não cobra, diferente dos outros artistas."

Sortudo do Ibirapuera

Só nesta passagem pelo Brasil Katy já deu algumas provas de sua humilde. A primeira delas em Porto Alegre, onde ela se apresentou na quarta-feira (14). A cantora viu e reconheceu na plateia um fã que tinha subido no palco com ela em 2015. Ela olhou e acenou para Matheus, além de falar o nome dele no microfone.

Em São Paulo, um caso mais curioso. Um fã que tinha acabado de sofrer uma tentativa de assalto no parque do Ibirapuera tirou a sorte grande de se encontrar com a rainha --e ser muito bem tratado-- logo em seguida.

Vinícius viu uma mulher loira e alta entrando em um carro cercado por seguranças e correu para ver quem era. Quando descobriu que era a cantora, gritou pelo nome dela e foi atendido.

Katy Perry não só tirou uma foto com ele como ainda buscou a melhor luz para que a selfie ficasse perfeita. Depois dessa alguém ainda duvida da humildade da americana?