Topo

Música


Ney lota show de abertura da Virada, marcado por gritos de "Fora, Temer"

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

21/05/2016 18h36

Diante de um público já numeroso no centro de São Paulo, o cantor Ney Matogrosso abriu "oficialmente" -- e em grande estilo -- a programação de shows da Virada Cultural pontualmente às 18h, neste sábado (21), no Palco Júlio Prestes, no centro.

Assim como aconteceu em atrações desta sexta, o show foi marcado por protestos contra o presidente interino Michel Temer, com faixas, folhas de papel ofício e adereços diversos com inscrições como "Fora, Temer" e "Temer Jamais".

Em alguns momentos, o grito contra o peemedebista prevaleceu, mas também foi ouvido o "Fora PT", embora em menor volume e empolgação. O cantor, conhecido por opinião política forte, não se manifestou sobre o assunto no palco.

De calça de couro colada e "burca" brilhante, o cantor subiu ao palco para apresentar o repertório de seu show mais recente, baseado no álbum "Atento aos Sinais", espécie de conto urbano e contemporâneo. Ney começou a apresentação com "Rua da Passagem" e "Incêndio".

Quem chegou uma hora antes, teve a oportunidade de ver um "esquenta" com o cantor que passou o som cantando quatro músicas.

A plateia, heterogênea, mas majoritariamente jovem, rapidamente se amontoou para ver Ney, mas sem confusão nem empurra-empurra. Entre os vários ambulantes no local, oficiais e "piratas", o tradicional vinho chapinha foi hit no público. As bebidas custavam de R$ 5 a R$ 10 no local.

Pouco antes da apresentação, a avenida Duque Caxias, parcialmente fechada pela CET, causou certo transtorno entre carros, ônibus e parte do público, que precisou dividir espaço na hora de chegar ao local.

Este ano, as apresentações do Palco Júlio Prestes vão até 1h da manhã, sem virar a madrugada, e reabre às 12h com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.

PALCO JÚLIO PRESTES

Sábado
18h: Ney Matogrosso
21h: Alcione
23h: Baby do Brasil e Armandinho

Domingo
12h: OSESP toca Villa Lobos, Stravinsky e Ravel com regência de Isaac Karabtchevsky
15h: Criolo
18h: Nação Zumbi e The Young Gods (Suíça)

Música