Topo

Coluna

Adriana de Barros


André Abujamra lança sua banda punk Turk e celebra Karnak com ópera rock

Mauro Nascimento
André Abujamra apresenta a banda punk Turk, seu novo projeto Imagem: Mauro Nascimento
Adriana de Barros

Adriana trabalha no UOL desde 2000, passou pelas rádios Mix FM, 97Rock e pela gravadora Sony Music.

2019-04-23T17:47:35

23/04/2019 17h47

Após o lançamento de "Omindá - A União das Almas do Mundo Pelas Águas" (2018), o cantor e compositor André Abujamra apresenta o álbum de estreia de seu novo projeto Turk, uma banda punk que traz metais na formação.

As 12 músicas de "Dois Chás para o Duzentos e Vinte e Dois" estão disponíveis nas plataformas de música desde ontem e o show de lançamento será no dia 2 de maio, no Z Largo da Batata, em São Paulo.

A Turk tem na formação Abujamra (guitarra e voz), Kuki Stolarski, o Kurk (bateria), Marcelo Pereira, o Purk (sax barítono preparado), Tiquinho, o Turkinho (trombone preparado), Mauro Nascimento, o Murk (percussão estranha) e Erick, o viking (baixo).

A abertura será de Guilhermoso Wild, que depois de anos dedicados ao projeto Frango Selvagem, entra em uma nova fase, com uma sonoridade pesada. Quem fecha a noite é o DJ Theo Werneck.

Me sinto na obrigação de compartilhar o texto de apresentação da banda na íntegra para que os fãs entendam perfeitamente a proposta da Turk:

Turk ou ninguém merece.
Ouvir o Turk pode ser um sofrimento, mas também a chance de odiar uma das piores bandas do mundo.
Tudo é ruim, começando pela guitarra destemperada e sem freios do André Abujamra.
Nunca houve uma banda que se diga punk de verdade com metais. O fato de colocar uma distorção num trombone, só faz desse instrumento um som horripilante de fanfarra.
Nada soa bem, nem o nome surripiado de outro projeto fracassado de Abujamra.
É tudo uma encenação de velhos músicos posando de antissistema, como um cãozinho rebelde que vira a tigela de comida porque ficou bravo com o dono.
O Turk tem um repertório sofrível, as pessoas mal entendem o que diz as letras das músicas. Também não faz muita diferença entender o que se tenta cantar. Talvez seja até melhor não saber mesmo.
Ou vc acha que Two Teas for the 222 pode ser um sucesso soando... UMTUTUTU?TUTU?
Outro "hit" ridículo é trezoitão. Uma ode ao ódio que você vai odiar ouvir, porque é muito ruim mesmo.
Então não perca seu tempo, não curta a page. Não tente entender essa porcaria.
Porém, como tudo, o Turk tem seu lado bom.
Nos tempos atuais onde a raiva online está a todo vapor, é uma boa maneira de extravasar sua energia negativa.
Pode xingar no twitter, espinafrar no facebook. Eles merecem seu ódio e falta de educação.
MOSTRE SUA CAIXA ALTA CONTRA O TURK.

Georgia Branco
Karnak completa 26 anos Imagem: Georgia Branco
Em paralelo, o músico comemora os 26 anos de existência da banda Karnak com "Nikodemus, a ópera rock". A big band sobe ao palco do Sesc Vila Mariana nos dias 26, 27 e 28 de abril.

No show, as novas músicas e hits como "Alma Não Tem Cor", "O Mundo", "Juvenar" e "Comendo Uva na Chuva".

O grupo Karnak continua na ativa depois de quatro discos lançados: "Karnak", "Universo Umbigo", "Estamos Adorando Tokyo" e "Piratas do Karnak ao vivo".

Serviço:
Karnak em "Nikodemus, a ópera rock"
Quando: 26 e 27/4 - sexta e sábado, às 21h e 28/4, domingo, às 18h
Onde: Sesc Vila Mariana - Rua Pelotas, 141, São Paulo/SP
Inf: www.sesc.org.br

Turk
Quando: 2 de maio - quinta, às 22h
Onde: Z - Largo da Batata - Av. Brigadeiro Faria Lima, 724 - Pinheiros
Inf: www.facebook.com/events