O Titã é pop

Como Thanos, o grande vilão dos Vingadores, pode se transformar no Darth Vader da nova geração

Rodolfo Vicentini Do UOL, em São Paulo
Reprodução

Ele é cruel, poderoso, tem problemas familiares e planos nefastos para o universo. A descrição cai como uma manopla para Thanos, o arqui-inimigo que os heróis que sobreviveram à carnificina de "Vingadores: Guerra Infinita" vão enfrentar em "Ultimato". Mas também combina com Darth Vader, o vilão que marcou uma outra geração em uma galáxia muito, muito distante na franquia "Star Wars".

Com um visual único e uma respiração inconfundível, o mestre do Lado Sombrio da Força virou um ícone da cultura pop, tão (ou até mais) representativo da guerra nas estrelas quanto os mocinhos Luke, Leia e Han. Thanos segue pelo mesmo caminho, na velocidade de um estalar de dedos construído ao longo de 22 filmes.

O ápice da saga do Titã Louco será visto nas telonas em "Vingadores: Ultimato" a partir do dia 25. O filme, que gerou intermináveis teorias dos fãs e já bateu o recorde de venda de ingressos antecipados, tem tudo para colocar Thanos de vez no panteão dos grandes personagens da história do cinema.

Lucas Lima/UOL Lucas Lima/UOL

Vilões parecidos

A comparação entre Thanos e Vader não é gratuita. Em entrevista à Empire, logo após "Vingadores: Guerra Infinita" chegar aos cinemas, Joe Russo, que dirigiu o filme ao lado do irmão Anthony, afirmou que sua intenção era justamente tornar Thanos o Darth Vader desta geração.

Darth Vader foi o vilão mais notável da minha infância e esperamos ter feito o Darth Vader da nova geração. Torcemos para que ele tenha aquela complexidade, causando medo nas pessoas, mas também as levando nessa jornada com ele.

"Vingadores: Guerra Infinita" deixa claro que os heróis mais poderosos do mundo podem não ser suficiente para derrubar Thanos e as seis Joias do Infinito. Na década de 70, George Lucas também fez isso com Vader, que quase derrotou a Aliança Rebelde liderada pela princesa Leia.

Personagens bens construídos e ameaças que foram evoluindo com os filmes, Thanos e Vader têm outro ponto em comum: a relação conflituosa com os filhos. Enquanto o Titã Louco assassina Gamora para cumprir sua missão no universo, Vader encara Luke em uma sangrenta luta de sabres de luz.

Visuais marcantes

Reprodução Reprodução

Uma máscara

O "pretinho básico" de Darth Vader conquista gerações desde os anos 70 -- e tudo culpa da máscara. O responsável pela criação do objeto foi Ralph McQuarrie, que se inspirou inconscientemente nos capacetes nazistas da Segunda Guerra. A ideia original de George Lucas era algo diferente de um "robô-general" da SS, o braço armado de Hitler. McQuarrie lembra que o criador queria "um traje que flutuasse no vento, como uma pessoa com uma capa preta e um grande capacete, no estilo de um guerreiro japonês". A máscara foi criada para que o Vader conseguisse respirar no espaço, e foi daí que surgiu a respiração pesada que casou perfeitamente com a voz imponente de James Earl Jones.

Reprodução Reprodução

Uma manopla

A única coisa que Thanos precisa é da Manopla do Infinito, o poderoso artefato construído pelo anão Eitri. Com ela acoplada à sua mão, ele vira o ser mais poderoso do universo por conseguir as seis Joias do Infinito. O objeto dourado virou um personagem adicional no último filme da franquia, e seu sucesso nos quadrinhos passou para o cinema -- em uma escala muito maior. Protagonista de "Desafio Infinito", minissérie da Marvel lançada em 1991, a manopla alcançou um status impressionante pela força da internet. O objeto acabou se transformando em meme, viralizou em diversas montagens nas redes sociais e ganhou a responsabilidade de ser o grande símbolo dos filmes dos Vingadores.

A Joia do Dinheiro

O que impulsionou de vez a presença de Thanos na cultura pop foi a grandiosidade do terceiro filme dos Vingadores. Foram mais de US$ 2 bilhões arrecadados, o maior filme de super-herói da história do cinema. Era inevitável que o Titã virasse uma força tão estrondosa que nem precisaria da Manopla do Infinito para mostrar seu poder.

A ideia genial da Marvel foi apresentar aos poucos o antagonista durante a franquia, sendo o clímax em "Vingadores: Ultimato".

A primeira aparição do vilão foi em uma cena nos créditos de "The Avengers: Os Vingadores". Ali, no sexto filme da franquia, ficou claro que a busca de Thanos pelas Joias do Infinito seria a espinha dorsal do Universo Cinematográfico da Marvel. Ele ainda aparece em "Guardiões da Galáxia" e "Vingadores: Era de Ultron" antes de ser, de verdade, o protagonista de "Vingadores: Guerra Infinito".

"Thanos é um bom resumo do Universo Cinematográfico da Marvel", acredita Samir Naliato, criador do site Universo HQ.

"Começou com o Homem de Ferro, foi para o Hulk, Capitão América e chegaram os Vingadores, tudo em uma crescente. E Thanos foi exatamente isso. Uma aparição em cena extra, depois um pouco mais no filme seguinte. E foi aumentando a presença e o perigo. E essa construção do Thanos e de todo o Universo Marvel é muito bem feita. E é mais um motivo para o público gostar tanto dele."

Reprodução Reprodução

Estalar de dedos

O momento mais marcante de Thanos no cinema foi o estalar de dedos que acabou com metade dos seres vivos do universo. Já com Darth Vader é impossível esquecer a maior revelação da galáxia: "Luke, eu sou seu pai". As duas cenas, cada uma em sua época, rodaram o mundo, viraram piada, renderam brincadeiras, transformaram-se em fortunas com merchandising e entraram para o imaginário popular.

O curioso é que os diretores do filme da Marvel não tinham noção de que um estalo teria o impacto tão grande. Quem contou o "spoiler" foi o cineasta e roteirista Kevin Smith durante seu programa "Fatman Beyond", quando ele se recordou de uma conversa que teve com Joe Russo.

"Certo, você tem que me dizer honestamente, vocês sabiam quando você estava fazendo o filme que o estalo seria tão importante na cultura pop, que entraria instantaneamente no léxico, que sua mãe saberia o que significava o estalo?". E ele disse: "Não, não mesmo. Nós não estávamos preparados."

A primeira parte da jornada que encerra a saga "Vingadores" acabou com a morte de muitos heróis. O choque provocado pelo estalo de Thanos só foi possível graças ao bem-sucedido plano da Marvel em segurar os spoilers do filme.

Mesmo no começo dos anos 80, quando as notícias não corriam de uma forma tão rápida, os produtores de "Episódio V - O Império Contra-Ataca" se preocuparam em evitar que o maior segredo da franquia "Star Wars" vazasse.

Mark Hamill, que interpreta Luke Skywalker, admitiu em entrevista que nem o roteiro do filme entregava o que iria acontecer. O ator ficou sabendo alguns dias antes de gravar, quando o diretor Irvin Kershner entregou um bilhete para ele no qual estava escrita a frase.

O segredo ficou mantido até mesmo dentro da equipe. Boa parte do elenco, incluindo Harrison Ford e Carrie Fisher, só viu a revelação quando assistiram ao filme na pré-estreia. Hamill lembra que Ford virou para ele após terminar a sessão e disse: "Ei, garoto. Você não me contou essa porra".

Os momentos épicos de Thanos na saga "Vingadores"

Divulgação Divulgação

O que faz um bom vilão

Os vilões mais marcantes do cinema normalmente fogem do espectro comum do que a gente entende de um personagem mau. É algo a mais, que a gente consegue identificar e até mesmo entender as suas motivações, mesmo não validando os seus atos. Coringa é um psicopata com uma visão própria do mundo, Killmonger quer ampliar o alcance do Vibranium para atender pessoas marginalizadas e Loki carrega a amargura de não ser o filho preferido de Odin.

Darth Vader por muitos anos ficou sentado em seu trono de popularidade, mas ainda faltava um arco explicando sua trajetória. Isso aconteceu no final dos anos 90, quando George Lucas lançou os três primeiros episódios da saga. Mesmo dividindo opiniões, a trilogia é fundamental para entender o que levou Anakin Skywalker a se transformar em um vilão.

Demoramos décadas para descobrir como Darth Vader virou o poderoso Sith, mas a vida do vilão de "Star Wars" é marcada por dor, desespero e solidão.

Thanos, por outro lado, é um Titã que vê como solução do universo a morte de 50% de todas as criaturas vivas no cosmos. Ele realmente acredita que está fazendo a coisa certa e sua busca pelas Joias do Infinito é para equilibrar a galáxia.

Thanos não se vê como um vilão. Thanos é um gênio que tem um compasso moral um pouco fora do eixo. É muito como Ra's Al Ghul, do Batman, que nos quadrinhos acredita que você tem que destruir para buscar o equilíbrio. E Thanos tem isso. Ele não se vê como vilão, mas um cara que está fazendo a coisa certa, o que o deixa muito mais perigoso. Roberto Sadovski, blogueiro do UOL

5 vilões poderosos

  • Coringa

    É inegável: Coringa é um dos grandes vilões da cultura pop, mas sua última participação impactante no cinema já tem mais de 10 anos, quando Heath Ledger chegou ao patamar de ser comparado com Jack Nicholson pelo papel. Ainda assim, o personagem não teve uma continuação e a última adaptação, de "Esquadrão Suicida", foi tão confusa quanto o próprio filme. O Coringa retorna aos cinemas neste ano, desta vez com Joaquin Phoenix. Será que o palhaço psicopata conseguirá o destaque merecido?

    Imagem: Reprodução
  • Alien

    O protagonista da franquia que mistura terror com ficção científica é um forte candidato ao status de grande vilão e merece estar enciumado com a popularidade de Thanos, mas o Alien vem sendo esquecido ao longo dos anos e, quando aparece nos cinemas, fica em segundo plano para ter a mitologia da saga explorada, como aconteceu em "Prometheus" e "Alien: Covenant".

    Imagem: Reprodução
  • Hannibal Lecter

    Imortalizado por Anthony Hopkins no clássico "O Silêncio dos Inocentes", o canibal surgiu como uma força dentro do cinema e foi ramificado para a televisão, na excelente série "Hannibal", estrelada por Mads Mikkelsen. Mas ainda assim falta um impacto maior do vilão em comparação a Thanos, principalmente porque as sequências nas telonas foram muito aquém do que o vilão merecia.

  • Sauron

    O vilão da trilogia "O Senhor dos Anéis" ronda o ambiente da Terra-Média com um visual impactante: um olho vermelho que observa tudo e todos. Apesar da representação poderosa, Sauron perde o protagonismo ao lado de tantos personagens marcantes, como Saruman, Gollum e os orcs -- isso para falar apenas dos vilões. Ainda assim, o grande antagonista da história épica criada por J.R.R. Tolkien é o anel, aquele forjado no fogo imortal da Montanha da Perdição.

    Imagem: Reprodução
  • Voldemort

    Responsável por oito filmes, o vilão da franquia "Harry Potter" tem direito a ficar nervoso. Ele é famoso, virou um dos símbolos de uma saga bilionária e tem grandes ambições. O que joga contra Voldemort é que ele realmente nunca teve superioridade em relação aos outros personagens. A cada capítulo, Hermione, Rony e principalmente Harry encontravam alguma forma de deter o protagonista.

    Imagem: Reprodução

Curtiu? Compartilhe.

Topo