PUBLICIDADE
Topo

O que há por trás do canal que traz mais de 400 filmes nacionais de graça

Cena do longa "O Bandido da Luz Vermelha", estrelado por Paulo Villaça e dirigido por Rogério Sganzerla - Reprodução
Cena do longa "O Bandido da Luz Vermelha", estrelado por Paulo Villaça e dirigido por Rogério Sganzerla Imagem: Reprodução

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

15/08/2020 04h00Atualizada em 18/08/2020 09h35

Nós já falamos aqui, no Dia do Cinema Nacional, sobre a qualidade dos filmes brasileiros e como eles movimentam uma indústria importante que gera milhares de empregos. Citamos obras reconhecidas internacionalmente que dão aula ao Brasil e ao mundo. E agora vamos além: que tal acessar a um catálogo de cerca de 400 grandes filmes nacionais na internet?

For free

Estamos falando de um canal do YouTube, chamado "Legacies of Brazilian Cinema", que reúne, com legendas em inglês, obras de ficção, documentários e entrevistas relacionados ao nosso cinema, da década de 1910 aos anos 2000. Trata-se de um verdadeiro tesouro da cinematografia nacional. E o melhor: tudo é de graça e livre de propagandas.

Tudo organizado

Uma das coisas mais legais é que o canal organiza os títulos em muitas playlists. E há seleções por década, por período do cinema nacional, por diretores em ordem alfabética, por música e até por diretor de fotografia. Entre as pérolas do nosso cinema estão filmes lendários.

Filmes como "Exemplo Regnerador" (1919), "Limite" (1931), "O Bandido da Luz Vermelha" (1968) e "Cabra Marcado Para Morrer" (1984) chegaram a ser postados na plataforma e estava embedados em uma versão anterior desta matéria, mas forma excluídos pelo YouTube.

Mas quem está por trás disso?

A descrição do canal, que foi criado de forma independente em fevereiro e não monetiza os vídeos, diz que o objetivo é apenas "tornar o cinema brasileiro mais acessível a um público maior, disponibilizando cópias de filmes clássicos com legendas em inglês". Cineastas ou produtores que não quiserem ver suas obras postadas de graça podem pedir a retirada.

Divulgar nosso cinema lá fora

Nós ficamos curiosos com essa história e mandamos algumas perguntas para o administrador(a) do "Legacies of Brazilian Cinema". E, para nossa surpresa, ele (ou ela) disse que responderia a mensagem por email apenas em inglês, sem revelar identidade e origem. A ideia é divulgar nosso cinema no exterior, em todas as suas fases, e evitar que ele caia no ostracismo.

O cinema brasileiro é um dos melhores do mundo e sua história é tão fascinante quanto a de qualquer outro país. No entanto, se as pessoas não puderem acessar algumas dessas obras, elas sempre permanecerão nas sombras
Interlocutor(a) misterioso(a)

Na opinião da pessoa responsável pelo canal, a produção brasileira é única, diversa e de alta qualidade desde a era do cinema mudo. E iniciativas como esta devem render frutos em breve

No passado, o público internacional tinha contato apenas pelo movimento Cinema Novo. Mas, graças à acessibilidade da era digital, percebemos que o cinema da era muda e da era dos estúdios são cheios de trabalhos incríveis, que precisam ser mais estudados

Nós achamos o máximo a iniciativa e concordamos com o senhor(a) anônimo(a)!

E também lamentamos o fato de a Cinemateca Brasileira, que tem um acervo valiosíssimo e agora ameaçado, estar passando por uma grave crise. Esta semana, o governo federal extinguiu a gestão, feita pela Associação Comunicação Educativa Roquette Pinto, e demitiu todos os funcionários da instituição. O único plano divulgado é o de reincorporá-la à União. A Cinemateca merece --muito-- mais.

                                 O contrato da Cinemateca com a Roquette Pinto de R$ 1,2 milhão mensais paga salários e as contas de água, luz etc. A dívida totaliza cerca de R$ 11 milhões                              - Ronaldo Caldas/Divulgação                            - Ronaldo Caldas/Divulgação
Sede da Cinemateca Brasileira, na Vila Clementino, bairro da zona sul de São Paulo
Imagem: Ronaldo Caldas/Divulgação

Aliás, seria o(a) mentor(a) do "Legacies of Brazilian Cinema" não um gringo, mas um ex-funcionário ou alguém ligado à Cinemateca, de onde digitalizou o conteúdo?

A pessoa não revela, mas é possível que sim. A capa do canal traz uma foto de um protesto de funcionários, que ficaram sem salários por meses, além de um link direcionado a uma página com um financiamento coletivo em apoio a eles.

Capa do canal "Legacies of Brazilian Cinema" - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

[A crise] é uma tragédia, porque esses trabalhadores foram tratados de forma horrível. Mas também é uma tragédia para os filmes, que estão à espera de serem descobertos pelo mundo e correm o risco de serem destruídos. É uma ameaça à cultura mundial

Mais filmes de graça

Falando de Cinemateca Brasileira, nós descobrimos que alguém disponibilizou um link de Drive contendo boa parte dos filmes da instituição. A mensagem foi compartilhada em grupos de cinema com a mensagem de que ex-funcionários estão se prevenindo contra eventuais danos em rolos de filmes, que são perecíveis e agora correm o risco de ser inutilizados, e por isso estão postando o acervo.

É uma bela iniciativa. E força ao cinema nacional!

Nós, do UOL, estamos do lado da cultura e desejamos força aos ex-funcionários da Cinemateca e a toda a comunidade do audiovisual que está sofrendo com a crise. E esperamos que seu rico acervo, o maior do tipo na América Latina, com 250 mil rolos de filmes e 1 milhão de itens, não sofra nenhum dano. Quem perde é o cinema mundial.