PUBLICIDADE
Topo

Entenda por que Pearl Jam é a banda que mais emocionou jovens em 2020

Joel, protagonista de "The Last of Us", segura violão no jogo - reprodução/The Last of Us/Naughty Dog
Joel, protagonista de "The Last of Us", segura violão no jogo Imagem: reprodução/The Last of Us/Naughty Dog

Ana Carolina Silva

Do UOL, em São Paulo

09/08/2020 12h00

O Pearl Jam é a banda que mais emocionou os jovens em 2020. Se essa informação te deixou confuso, saiba que você é uma das últimas pessoas alheias ao jogo "The Last of Us Part II", do PlayStation 4. Sim, você é um dos "últimos de nós" (e essa piada ruim é irresistível).

Não entendeu nada? Calma.

Estamos falando de 'Future Days', a música abaixo:

No game em questão, a canção de 2013 foi tocada e cantada pelo personagem Joel diante de Ellie, a garota que ele protegeu e adotou no primeiro "The Last of Us".

A cena é linda e cheia de sensibilidade.

E a letra também. Essa é a tradução de um trecho de "Future Days":

Lá atrás, quando eu me sentia quebrado
Eu me concentrei em rezar
E você veio do fundo do oceano
Ouviu algo lá fora?
Todas as complexidades e os jogos
Ninguém ganha, mas por algum motivo, continuam sendo jogados
Todos os corações despedaçados
Eles podem morrer, mas ainda vivem em nós
Eu acredito
E eu acredito porque posso ver
Os nossos dias futuros
Dias de você e eu

Mas o impacto emocional de "Future Days" em "The Last of Us Part II" não está apenas na letra; é importante entender a complexidade do relacionamento entre os dois personagens.

Joel é um homem que perdeu a filha no começo da história, e Ellie era, até então, uma menina sozinha no mundo. Ela nasceu na pandemia e não tinha muita motivação na vida além de sobreviver.

Juntos, eles encontraram um propósito para seus "dias futuros".

Mas aí veio o segundo game, e, daqui em diante, este texto terá...

alerta de spoiler
Imagem: Reprodução

A morte de Joel no primeiro ato de "The Last of Us Part II", em uma violenta cena inteiramente protagonizada por humanos, foi como um soco no estômago dos jogadores.

O luto foi tão poderoso que muitos chegaram a esquecer que o jogo tinha infectados (humanos que se transformaram em criaturas semelhantes a zumbis, mas contaminados pelo fungo Cordyceps —que, inclusive, existe na vida real).

Anos depois, Ellie tentou tocar e cantar "Future Days", mas não conseguiu terminar.

Não haveria "dias futuros" para ela ao lado de Joel.

A relação com a música é um dos elementos mais marcantes de "The Last of Us Part II": toda vez que Ellie encontra um violão, o jogador pode escolher qualquer canção para tocar.

Sim, é realmente qualquer canção.

Pode ser até mesmo "O Menino da Porteira", como no vídeo abaixo.

Ou "Here Comes the Sun".

A relação de um videogame com a música foi só uma das coisas que a produtora Naughty Dog ajudou a revolucionar com a franquia "The Last of Us", que vai virar série da HBO e deve tentar nos fazer chorar de novo.