PUBLICIDADE
Topo

Já passou da hora de o Emmy ter uma categoria para séries estrangeiras

Palco da premiação do Emmy - Getty Images
Palco da premiação do Emmy Imagem: Getty Images

Liv Brandão

Do UOL, em São Paulo

28/07/2020 14h36

Das grandes premiações Hollywoodianas menos afetadas pela pandemia do coronavírus, o Emmy Awards anunciou os indicados para sua 72ª edição no início da tarde desta terça-feira. Com uma janela de indicação que contemplava séries e temporadas lançadas até o dia 31 de maio deste estranho ano, a premiação não teve grandes desfalques motivados por atrasos de produção ou falta de lugares para lançamento —isso é um problema para o Oscar.

Mas se a maior premiação da TV americana está em vantagem justamente por estar nas casas, nas TVs, smartphones, tablets (e o que mais vier), do público, ela infelizmente não se aproveita de um dos grande trunfos que a popularização do streaming nos trouxe: que é o de abrir nosso olhar para outros lugares do mundo. Até os americanos, reconhecidamente refratários a assistir a filmes e séries legendados, estão começando a dar o braço a torcer.

O Emmy deveria sair na frente, não?

E aqui sou obrigada a citar novamente o careca dourado, que premiou "Parasita", um filme sul-coreano (e falado no idioma local), na categoria de melhor filme E melhor filme estrangeiro. Parece que foi há eras, mas aconteceu nesse ano mesmo, tá?

Então, por que diabos não vemos indicações ao Emmy para a italianíssima "Amiga Genial" ou para a segunda temporada de "Dark", que fundiu a cabeça de todo mundo em alemão?

Ainda sobre "Amiga Genial": por que não indicar a segunda temporada da série baseada na tetralogia napolitana de Elena Ferrante entre os melhores dramas do ano? Dirigida brilhantemente por Saverio Costanzo e Alice Rohrwacher, com atuações impecáveis e uma fotografia de tirar o fôlego, a série da HBO passada na Itália havia sido inscrita —e esnobada— no ano passado e, desta vez, merecia ainda mais uma indicação.

Se até o americano médio está se curvando ao poder das histórias contadas em qualquer idioma, por que não a Academia de Artes e Ciências da Televisão, organizadora do Emmy? A premiação mais importante da TV —que há muito tempo deixou de ser o patinho feio do audiovisual— tem mais de 100 categorias (eu não estou exagerando, o documento com a lista completa de indicados tem 61 páginas!) e nenhuma delas é dedicada às séries produzidas em outros idiomas.

Por que não uma categoria de melhor série em língua estrangeira, Emmy?

Se o Emmy vive mudando as regras para se adaptar aos novos tempos e promover mais diversidade, por que não garantir espaço para histórias contadas em outras partes do mundo? Veja bem, estamos falando de uma premiação que tem categoria de "melhor narrador". Nada contra, até tenho amigos que são, mas entende o meu ponto?

Sim, você pode argumentar que existe o tooooooooooooda uma premiação voltada para as produções de língua não-inglesa, o Emmy internacional, e o Brasil até costuma fazer bonito por lá. Mas vamos ser honestos? O Emmy Internacional é um puxadinho. E a gente quer ver as nossas séries queridas no evento principal.

(Quer saber quais foram as outras séries esnobadas no Emmy 2020? A gente te conta aqui)