PUBLICIDADE
Topo

Corpo de Alonzo Brooks, morto em 2004, é exumado após série da Netflix

Alonzo Brooks morreu após uma festa; o caso segue sem solução - Reprodução
Alonzo Brooks morreu após uma festa; o caso segue sem solução Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

21/07/2020 19h27

O FBI exumou hoje o corpo de Alonzo Brooks, morto em 2004 após ir a uma festa no Kansas, Estados Unidos. O caso voltou a ganhar atenção — e foi reaberto — após o documentário investigativo "Mistérios Sem Soluções", que estreou em julho na Netflix.

A nova série cobriu, em um dos episódios, o desaparecimento e a morte de Alonzo. Segundo o TMZ, a família dele diz que novas pistas estão chegando a cada dia desde o lançamento do projeto.

Alonzo tinha 23 anos quando foi a uma festa em La Cygne, em abril de 2004. Os investigadores acreditam que ele e os amigos eram um dos poucos negros na festa, formada principalmente por pessoas brancas.

Um amigo diz que Alonzo quase brigou com um cara por uma garota. Porém, ele continuou na festa mesmo depois que seus amigos foram embora.

No dia seguinte, as botas e o chapéu de Brooks foram encontrados do outro lado da rua, em frente à propriedade da festa. Entretanto, seu corpo só foi encontrado em 1º de maio, num riacho próximo.

Os relatórios médicos iniciais listaram a morte como "inconclusiva" devido à decomposição avançada do corpo, e as autoridades ficaram com poucas evidências concretas.

Seus familiares e parentes afirmam que ele não cometeu suicídio ou tenha se afogado acidentalmente. As pessoas mais próximas acreditam que ele foi assassinado.

Na série, o FBI já anunciou que está oferecendo uma recompensa de US$ 100 mil por qualquer ajuda no caso, considerado agora como um crime de ódio.