PUBLICIDADE
Topo

Kid Abelha acabou porque empresário quis tornar Paula diva, dizem músicos

Formação principal do Kid Abelha: Bruno Fortunato (e), Paula Toller e George Israel - Reprodução/Instagram
Formação principal do Kid Abelha: Bruno Fortunato (e), Paula Toller e George Israel Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

13/07/2020 08h22Atualizada em 13/07/2020 09h35

Três ex-bateristas que participaram de gravações de álbuns do Kid Abelha se juntaram para uma transmissão ao vivo no canal de YouTube da TV Maldita, comentando bastidores da banda e até mesmo sua separação, em 2016. Segundo Kadu Menezes, que ficou 16 anos com o Kid Abelha, o fim da banda foi "coisa de empresário".

"Tem empresário que visualiza no seu artista a possibilidade de ele ser uma coisa maior do que ele é", comentou. De acordo com Menezes, um dos administradores da carreira do Kid Abelha achava que a vocalista Paula Toller tinha potencial para seguir carreira solo, ser "a diva da música brasileira".

Com isso, a banda começou a ter atritos: "Começaram a separar os músicos do restante do Kid, separar os músicos da equipe técnica. No próprio Kid, começaram a separar a Paula. Ela tinha o carro dela, sozinho. Começaram até a separar os hotéis também".

"O determinante para o fim foi essa história: a Paula vai ser diva, o Kid vai ser os outros dois caras, e a banda vai ser a banda, cada um no seu patamar. Tenho certeza que começou a degringolar por aí", teorizou.

A formação principal do Kid Abelha tinha Paula Toller, Leoni (até 1986), George Israel e Bruno Fortunato.

Leoni

Os músicos também falaram sobre a briga entre os integrantes do Kid Abelha e Leoni, em 1986, quando a banda cantaria ao lado de Leo Jaime em um show. Nos bastidores, um desentendimento entre os integrantes levou Leoni a não entrar no palco naquele dia, e eventualmente deixar a banda.

Menezes contou que presenciou o momento em que Paula Toller atingiu Leoni na cabeça acidentalmente com um pandeiro. "As meninas estavam berrando. A Paula e a namorada do Leoni. A Paula tinha um pandeiro que ela usava nos shows. Na hora da confusão, ela jogou. Era para acertar em não sei quem e acabou acertando no Leoni. Virou uma história do rock".

Claudio Infante, que era o baterista da banda na época, não presenciou a confusão. "Depois do show, todo mundo ia jantar junto. Fui na frente para segurar a mesa, mas ninguém apareceu. No dia seguinte, vi a foto do Leoni no jornal com o machucado na cabeça", contou.

Além de Kadu Menezes e Claudio Infante, a live contou com a participação de Adal Fonseca.

Rock