PUBLICIDADE
Topo

Música

Neil Young condena Trump por usar suas músicas durante ato político

O cantor Neil Young - Alice Chiche / AFP
O cantor Neil Young Imagem: Alice Chiche / AFP

Do UOL, em São Paulo

04/07/2020 10h09Atualizada em 04/07/2020 10h18

O roqueiro Neil Young condenou o uso de suas músicas pelo presidente norte-americano, Donald Trump, durante um ato político na noite de ontem no Monte Rushmore, na Dakota do Sul.

Por meio de suas redes sociais, o músico canadense, que é opositor ao governo Trump, expressou sua insatisfação ao compartilhar um trecho do evento em que toca uma de suas músicas. "Isso não está Ok por mim", escreveu.

Em uma segunda publicação, Young compartilhou outro vídeo do evento e comentou: "Eu me coloco em solidariedade com o povo de Dakota e isso não está Ok por mim".

Durante o ato de Trump, três músicas de Young foram tocadas: "Like A Hurricane", "Rockin' in the Free World" e "Cowgirl in the Sand".

Young já havia criticado Trump em outras ocasiões pelo uso de suas músicas em atos políticos. Em uma carta aberta publicada em seu site em fevereiro, o músico chegou a chamar o presidente americano de "desgraça", mas disse que não tem como proibi-lo de tocar suas músicas em eventos.

Música