PUBLICIDADE
Topo

Morre na Espanha o escritor chileno Luis Sepúlveda, vítima do coronavírus

Luis Sepulveda - ETIENNE DE MALGLAIVE / AFP
Luis Sepulveda Imagem: ETIENNE DE MALGLAIVE / AFP

Do UOL, em São Paulo

16/04/2020 06h53

O popular escritor chileno Luis Sepúlveda, forçado ao exílio durante a ditadura de Augusto Pinochet, faleceu na Espanha aos 70 anos, depois de passar um mês e meio hospitalizado em decorrência de infecção pelo novo coronavírus, informou a editora Tusquets.

"O escritor Luis Sepúlveda faleceu em Oviedo (norte da Espanha). A equipe da Tusquets Editores lamenta profundamente sua perda", afirmou a editora espanhola em um comunicado.

O autor estava internado desde o fim de fevereiro no Hospital Universitário Central das Astúrias, na região norte da Espanha, onde morava. Ele apresentou resultado positivo para o novo coronavírus depois de retornar de um festival no norte de Portugal.

De acordo com a imprensa local, em 10 de março o escritor estava em estado crítico e, desde então, a família não divulgou mais informações sobre a saúde de Sepúlveda.

"Os profissionais da saúde fizeram tudo para salvar sua vida, mas não superou a doença. Meus emocionados pêsames para a mulher e a família", escreveu no Twitter o presidente regional das Astúrias, Adrián Barbón.

Nascido em outubro de 1949 em Ovalla, uma cidade ao norte de Santiago, Sepúlveda militou na juventude comunista e depois em grupos socialistas, o que provocou sua detenção em 1973, durante a ditadura de Augusto Pinochet.

Depois de um período conturbado, alternando dois períodos na prisão, outro em prisão domiciliar e quase um ano foragido na clandestinidade, em 1977 conseguiu sair do Chile, onde nunca voltou a morar.

IEntre as principais obras de Luis Sepúlveda está O Velho que Lia Romances de Amor, lançado em 1989 e dedicado a Chico Mendes, seringueiro e ativista brasileiro morto em 1988 de quem era amigo.

* Com informações da AFP

Livros e HQs