PUBLICIDADE
Topo

Morre Honor Blackman, a Pussy Galore de '007 Contra Goldfinger', aos 94

30.10.2015 - A atriz Honor Blackman comparece à abertura de exposição em homenagem à franquia 007 em Londres - David M. Benett
30.10.2015 - A atriz Honor Blackman comparece à abertura de exposição em homenagem à franquia 007 em Londres Imagem: David M. Benett

Do UOL, em São Paulo

06/04/2020 13h21

Resumo da notícia

  • Honor Blackman morreu aos 94 anos de causas naturais, disse a família
  • A atriz ficou conhecida por 'Os Vingadores' e '007 Contra Goldfinger'
  • Seus papéis em filmes de ação ainda a levaram a lançar um livro de autodefesa

Honor Blackman, a atriz que ficou conhecida como a Bond girl Pussy Galore em "007 Contra Goldfinger" (1964), morreu aos 94 anos. A britânica morreu em sua casa em Lewes, no Reino Unido, de causas naturais não relacionadas ao novo coronavírus, segundo disse a família ao The Guardian.

"Além de ter sido uma mãe e avó adorada por nós, Honor era uma atriz de talento criativo imensamente prolífico, com uma extraordinária combinação de beleza, inteligência e poderio físico, além de sua voz única e sua ética de trabalho dedicada", escreveu a família em nota.

1964 - Honor Blackman com Sean Connery em evento para promover '007 Contra Goldfinger' - PA Images via Getty Images
1964 - Honor Blackman com Sean Connery em evento para promover '007 Contra Goldfinger'
Imagem: PA Images via Getty Images

Na ativa desde o final dos anos 1940, Blackman ganhou notoriedade como Catherine Gale na popular série britânica de espionagem "Os Vingadores". Ela deixou o papel em 1964, exatamente para se juntar a Sean Connery em "007 Contra Goldfinger", a terceira aventura de James Bond nos cinemas.

A personagem de Blackman, Pussy Galore, quebrou o molde das Bond girls indefesas e submissas da franquia. "Ela era a conquista mais interessante de 007, uma criatura fascinante. Todas as anteriores sucumbiram rápido, mas ela não. No livro [de Ian Fleming], ela era lésbica", lembrou Blackman em entrevista.

Seus papéis em produções de ação renderam o lançamento de um livro em que Blackman ensinava golpes de autodefesa. "Ela conseguia não só atrair o olhar dos homens, como também jogá-los para o outro lado da sala com um golpe de judô!", brincou um fã na página do livro na Amazon.

Além dos seus dois projetos mais célebres, a atriz apareceu em títulos como "Somente Deus por Testemunha" (1958), uma das versões cinematográficas do desastre do Titanic; e "Jasão e o Velo de Ouro" (1963), onde encarnou a deusa Hera.

"Uma Filha Para o Diabo" (1976), "O Gato e o Canário" (1978), "O Enigma de Talos" (1998) e "O Diário de Bridget Jones" (2001) também estão na extensa filmografia da britânica.

Filmes e séries