PUBLICIDADE
Topo

Adiamento de '007' por coronavírus pode custar US$ 50 milhões a estúdio

O ator Daniel Craig, intérprete de James Bond em "007" - Paul Hackett/Reuters
O ator Daniel Craig, intérprete de James Bond em "007" Imagem: Paul Hackett/Reuters

Do UOL, em São Paulo

06/03/2020 12h49

O adiamento do lançamento de "007: Sem Tempo Para Morrer", que foi de abril para novembro, custará ao estúdio responsável pelo 25º longa de James Bond até US$ 50 milhões - o equivalente a cerca de R$ 230 milhões.

O estúdio MGM optou por deixar o lançamento para o fim do ano, tentando fugir das consequências do surto do novo coronavírus, que começou na China e se espalhou pelo globo.

A data internacional de lançamento era 10 de abril, mas estima-se que a bilheteria poderia despencar em pelo menos 30% por conta da epidemia, que atinge países fortes para a indústria cinematográfica, como China e Itália, entre outros. A nova data é 25 de novembro.

Segundo o site The Hollywood Reporter, o prejuízo em relação à nova decisão será de US$ 30 a 50 milhões. Ainda assim, é considerado uma aposta mais segura do que manter a data original.

A produção, a primeira desde "007 Contra Spectre", de 2015, teve orçamento de US$ 245 milhões. O estúdio previa arrecadar na bilheteria US$ 1 bilhão, e considera que o lançamento em abril reduziria esta cifra em cerca de US$ 300 milhões.

O adiamento foi comunicado na terça-feira (3), sendo o primeiro blockbuster a tomar tal iniciativa por conta da epidemia.

Filmes e séries