PUBLICIDADE
Topo

Ícone do underground de SP, Hangar 110 voltará a atividade

O Hangar 110, em São Paulo - Marcelo Justo/UOL
O Hangar 110, em São Paulo Imagem: Marcelo Justo/UOL

Osmar Portilho

Do UOL, em São Paulo

11/02/2020 16h36

Endereço conhecido de inúmeras bandas de São Paulo, o número 110 da rua Rodolfo Miranda voltará a abrigar a casa de shows Hangar 110. Em texto publicado no Facebook e assinado por seus proprietários, Marco e Cilmara, o estabelecimento explica seu retorno, marcado para o dia 1º de março.

"Além de ser o lugar que sempre amamos, o Hangar é também uma "idéia" e por isso lutamos muito para que essa idéia não se transformasse em um galpão vazio, um estacionamento ou uma igreja", diz o texto. Neste período, o Hangar 110 atuou apenas como produtora de eventos.

"Estamos cientes das dificuldades que virão, dos desafios de se fazer cultura num país como o nosso, porém não vemos outro futuro senão o de estar a frente novamente, arregaçar as mangas e seguir adiante", finaliza o post.

Por 19 anos, o Hangar 110 foi uma das principais casas de show do underground de São Paulo e se colocou como um quartel general das cenas punk, hardcore e heavy metal. Ponto de encontro de fãs e bandas no bairro do Bom Retiro, tudo começou com uma história de amor entre os donos, Marcos "Alemão" Baldin e Cilmara Baldin.

A lista de bandas a passar pelo palco construído no braço por Alemão —com Cilmara levando os tijolos na carriola— vai de lendas nacionais como Garotos Podres, Gritando HC, Cólera, Olho Seco e Ratos de Porão a presenças gringas, como Marky e CJ Ramone, Jello Biafra, Stiff Little Fingers. No metal, Cannibal Corpse, Behemoth, Mayhem e muitas outras. Durante o estouro do emo, no meio dos anos 2000, foi palco cativo de CPM 22, NX Zero, Gloria e Fresno.