PUBLICIDADE
Topo

Filme sobre Asa Branca lembrará polêmicas e discutirá indústria do rodeio

O locutor Asa Branca posa em julho de 2018 - Marlene Bergamo/Folhaimagem
O locutor Asa Branca posa em julho de 2018
Imagem: Marlene Bergamo/Folhaimagem

Leonardo Rodrigues

Do UOL, em São Paulo

05/02/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Vida do locutor Asa Branca, que morreu ontem, será contada em filme que deve estrear até 2021
  • Ator global Emilio Dantas é o favorito para interpretar o protagonista
  • História será inspirada em cinebiografias musicais e abordará polêmicas do personagem, como o HIV
  • Críticas sobre a Indústria do rodeio e maus-tratos a animais serão discutidos no longa

A vida e obra de Waldemar Ruy dos Santos, o Asa Branca, que morreu ontem, será radiografada em um longa-metragem grandioso, estrelado por uma estrela da televisão e que tocará em várias polêmicas, incluindo a relevância da indústria do rodeio no Brasil.

Ainda em fase inicial de captação de recursos, o drama já tem título, "Asa Branca - A Voz da Arena", e narrará a história de amor e superação de um homem humilde que sonhava em ser boiadeiro mas, devido a um acidente, mudou de profissão e virou lenda, referência sertaneja e celebridade televisiva.

Quem está por trás do filme

Trata-se de um projeto do diretor Guga Sander, que comandou recentemente a série "Ilha de Ferro", da Globoplay e a novela "Topíssima", da RecordTV. A produção será o primeiro longa de ficção da paulista Sentimental Filme, que tem diversos trabalhos na área da publicidade e atuará junto da Querosene Filmes, de longas como Juan e a Bailarina e "La Vingança".

Quem assina o roteiro é Fernando Honesko, que está por trás da série "Gigantes do Brasil", da History Channel. O contrato de distribuição nos cinemas e streaming ainda não foi assinado.

Quando sairá

A ideia é começar a rodar ainda este ano, com lançamento esperado até o fim de 2021, O filme poderá sair casado com um novo documentário sobre Asa Branca que também está sendo produzido pela Sentimental.

O locutor Asa Branca - Pierre Duarte/Folhapress - Pierre Duarte/Folhapress
O locutor Asa Branca
Imagem: Pierre Duarte/Folhapress

Elenco

Apenas um nome foi colocado na mesa: o global Emilio Dantas, das novelas Verão 90 e Todas As Mulheres do Mundo. O ator carioca está em conversas com a Sentimental e com o diretor Guga Sander.

"A questão é de agenda. Como ainda não temos isso definido, não conseguimos ainda estabelecer um cronograma de trabalho e produção, Mas ele gostou do projeto e é um nome muito forte. Estamos esperando o retorno", diz ao UOL o Marcos Araújo, sócio da Sentimental Filme.

Orçamento

Aprovado na Ancine em 2016, "Asa Branca - A Voz da Arena" foi autorizado a captar R$ 7,3 milhões via lei do audiovisual. Levantou R$ 2,2 milhões até o fim de 2019.

Também há recursos do edital BNDES Procult, mas, com as recentes mudanças no apoio federal à cultura, os produtores tiveram de redimensionar o orçamento. "Nosso desafio agora é tentar compor com parceiros, distribuidores e adequar o projeto à nova realidade do cinema nacional. É impossível falar de orçamento final."

O locutor paulista Asa Branca (FOTO: Reprodução) - O locutor paulista Asa Branca (FOTO: Reprodução) - O locutor paulista Asa Branca (FOTO: Reprodução)
O locutor paulista Asa Branca
Imagem: O locutor paulista Asa Branca (FOTO: Reprodução)

A história

Segundo a Sentimental, o filme será um drama emotivo, influenciado por cinebiografias e filmes musicais recentes, incluindo "Bohemian Rhapsody", sobre a história do Queen, e "Nasce uma Estrela", estrelado por Lady Gaga.

Outra referência é "Dois Filhos de Francisco". Asa Branca foi consultado durante o tratamento do roteiro e concepção do filme, que passará a vida do personagem da juventude aos últimos dias, com cenas com animais reais e rodadas em rodeios no Estado de São Paulo.

Polêmicas

O abuso de drogas, incluindo cocaína, as noitadas, os amores conturbados, os traumas com os diagnósticos de câncer e HIV, o reencontro com um amor de infância. Tudo isso será mostrado com visão do próprio Asa Branca no filme, que não será "chapa branca" e tocará em outra polêmica: a crueldade da indústria do rodeio.

"Além de mostrar toda essa cultura, vamos explorar como os animais são tratados nesse meio. Esse é um assunto hoje muito forte e sensível. Até que ponto é importante valorizar essa indústria? Mas isso não diminui a força do trabalho do Asa Branca, a importância que ele tem para esse mundo. Acreditamos muito na força do personagem. Será uma grande homenagem", conclui Araújo.