PUBLICIDADE
Topo

Presidente do Grammy é afastada por má conduta pouco antes da premiação

Deborah Dugan, presidente da Recording Academy - Angela Weiss / AFP
Deborah Dugan, presidente da Recording Academy Imagem: Angela Weiss / AFP

Do UOL, em São Paulo

17/01/2020 11h36

Deborah Dugan, presidente da Recording Academy, responsável pelo Grammy, foi afastada do cargo a apenas dez dias da 62ª edição do evento. No posto desde agosto do ano passado, quando substituiu Neil Portnow, a executiva foi denunciada por má conduta. Durante as investigações, Harvey Mason Jr. assumirá como presidente interino.

"Devido a sérias preocupações conduzidas ao conselho da Recording Academy, incluindo uma acusação formal de má conduta feita por um membro feminino da equipe, o conselho colocará a presidente Deborah Dugan em uma licença administrativa de caráter imediato", diz o comunicado obtido pela revista Variety ontem.

"Determinamos que essa ação seria necessária para restaurar a confiança dos membros da Recording Academy, reparar a moral dos funcionários e permitir que a Academia se concentre em sua missão de servir a todos os criadores de música", segue a nota.

A identidade da acusadora e mais detalhes da denúncia ainda não foram divulgados. Porém, uma fonte anônima contou à Variety que a acusação foi motivada por discriminação junto à outra de assédio sexual contra um membro do conselho.

Outra possibilidade abordada pela revista foi, na verdade, que a denúncia faz parte de uma manobra para barrar as mudanças na academia defendidas por Deborah, que levantava questionamentos sobre gastos exagerados e o tamanho do conselho.

Grammy