PUBLICIDADE
Topo

Festival de Berlim 2020 seleciona três filmes brasileiros

Grace Orsato nos bastidores do filme Meu Nome é Bagdá - Reprodução/YouTube
Grace Orsato nos bastidores do filme Meu Nome é Bagdá Imagem: Reprodução/YouTube

Do UOL, em São Paulo

17/12/2019 12h05

Resumo da notícia

  • Três filmes brasileiros estão entre os selecionados para o Festival de Berlim 2020
  • Meu Nome é Bagdá, sobre jovem skatista, entrou na sessão Generation
  • Cidade Pássaro, de Matias Mariani, entrou para a seleção Panorama
  • Já o experimental APIYEMIYEKÎ foi selecionado na sessão Forum Expanded
  • Festival ocorre entre os dias 20 de fevereiro e 1º de março

O Festival de Berlim 2020 divulgou sua primeira leva de filmes selecionados hoje, e três obras brasileiras entraram na lista. O festival alemão, que comemora sua 70ª edição no ano que vem, ocorre entre os dias 20 de fevereiro e 1º de março.

O primeiro longa nacional foi anunciado na mostra Generation, que traz filmes para espectadores jovens. Meu Nome é Bagdá, filme de Caru Alves de Souza, aborda a vida de uma jovem skatista interpretada pela novata Grace Orsato

Aos 16 anos, ela passa os dias ao lado dos amigos, fazendo manobras na pista local, fumando maconha e jogando baralho. Aos poucos, ela se aproxima de Vanessa (Nick Batista), e juntas elas conhecem outras meninas skatistas e estreitam laços de amizade.

O elenco inclui também a cantora Karina Buhr e a atriz Suzy Rêgo, que interpreta a diretora da escola onde as meninas estudam.

Enquanto isso, a coprodução brasileira e francesa Cidade Pássaro, de Matias Mariani, apareceu na mostra Panorama. Com orientação tradicionalmente política, a seção escolheu abordar o tema da imigração em 2020.

Em Cidade Pássaro, um músico nigeriano viaja até São Paulo para ter notícias do seu irmão, que não entrou mais em contato após estabelecer uma nova vida na metrópole brasileira.

A outra seleção brasileira na mira do Festival de Berlim 2020 aparece na mostra Forum Expanded, que reúne filmes experimentais. O longa APIYEMIYEKÎ é uma coprodução nacional com a França e a Holanda.

A cineasta brasielira Ana Vaz dirige o projeto, que terá a sua première internacional no festival.

Cena de Cidade Pássaro, de Matias Mariani - Divulgação/Berlinale - Divulgação/Berlinale
Cena de Cidade Pássaro, de Matias Mariani
Imagem: Divulgação/Berlinale

Errata: o texto foi atualizado
Ao contrário do que informava originalmente este texto, três filmes brasieliros foram selecionados para Festival de Berlim 2020, e não dois. A informação foi corrigida.