PUBLICIDADE
Topo

Oscar


Oscar estuda mudanças em categorias para a premiação de 2021

Estatueta do Oscar - AFP PHOTO/Emmanuel Dunand
Estatueta do Oscar Imagem: AFP PHOTO/Emmanuel Dunand

Do UOL, em São Paulo

05/12/2019 14h13

Integrantes da organização responsável pelas premiações do Oscar avaliam a possibilidade de juntar duas categorias de som em uma única para evitar coincidências que possam ser mal interpretadas. De acordo com informações do site The Hollywood Reporter, indicados para a categoria de Mixagem acabam sendo premiados também na categoria de Edição de Som. Segundo o site, isso aconteceu várias vezes nos últimos 13 anos de realização do Oscar.

O Hollywood Reporter teve acesso a um email redigido por representantes do segmento de som dentro da Academy of Motion Picture Arts and Sciences (Academia de Artes e Ciências Cinematográficas) em que eles contestam a transparência na escolha dos premiados.

Na mensagem, os governadores Kevin Collier, Teri Dorman e Scott Millan afirmam que o subcomitê do qual fazem parte foi encarregado de investigar uma "coincidência substancial" entre candidatos e vencedores dos prêmios de Melhor Edição de Som e Melhor Mixagem de Som. Eles chegaram à conclusão de que algo não estava certo e fazem o alerta à Academia: "As linhas que separavam nossas responsabilidades da trilha sonora geral de um filme estão se esvaindo", eles dizem.

Em 2006, o Oscar de Edição de Som recebeu "status permanente com cinco indicados garantidos", como o Oscar de Mixagem de Som. Os autores do email escrevem que, nas 13 cerimônias do Oscar que ocorreram desde então, "houve um número substancial de vezes em que o mesmo filme foi reconhecido em ambas as categorias de prêmios".

Isso aconteceu especificamente oito vezes nos últimos 13 anos: com O Ultimato Bourne (2007), Guerra ao Terror (2009), A Origem (2010), A Invenção de Hugo Cabret (2011), Gravidade (2013), Mad Max: Estrada da Fúria (2015), Dunkirk (2017) e Bohemian Rhapsody (2018).

Os indicados aos prêmios nas duas categorias são escolhidos por integrantes do segmento de som, que entendem a distinção entre edição e mixagem de som, mas os vencedores são escolhidos por toda a Academia e pela grande maioria de seus membros, sendo que a grande maioria não é especialista e não sabe a distinção entre edição e mixagem.

De acordo com o email revelado ontem, houve uma conversa contínua no comitê executivo do segmento de som sobre "mudanças fundamentais" desde que, há três anos, o comitê de prêmios e eventos do conselho de governadores da Academia solicitou que o segmento de som "revisasse os dois prêmios e considerasse combiná-los em um único". O pedido foi refeito no ano passado.

O subcomitê de prêmios de som afirma que, desde então, "conheceu e discutiu a atual configuração de prêmios" e que "está favorecendo a etapa de combinar mixagem e edição de som em um prêmio unificado de Melhor Som". Este reconheceria ambas as disciplinas, com indicações para "até 2 editores de som supervisores, 1 mixador de som de produção e até 3 mixers de regravação".

"Todo mundo que fez parte da discussão até agora sente que essa mudança nos dará mais unidade como comunidade e nos fortalecerá como segmento", eles afirmam na mensagem.

Eles dizem ainda que "estão pressionando para que o voto seja modificado nos próximos meses" e enfatizam que "qualquer mudança em potencial não entraria em vigor até o Oscar de 2021 (93º Oscar)".

Oscar