Topo

Geek


Kirsten Dunst foi pressionada a "consertar" seus dentes para Homem-Aranha

Kirsten Dunst como Mary Jane em cena de Homem-Aranha (2002) - Divulgação/IMDb
Kirsten Dunst como Mary Jane em cena de Homem-Aranha (2002) Imagem: Divulgação/IMDb

Do UOL, em São Paulo

19/11/2019 09h04

Resumo da notícia

  • Kirsten Dunst contou que produtor de Homem-Aranha queria que ela tivesse "dentes de Barbie"
  • Atriz disse que também se recusou a fazer cena de ação sem dublês no filme
  • Dunst credita "mulheres fortes" que a guiaram no começo de carreira como inspiração para atitude assertiva nos sets

A atriz Kirsten Dunst marcou época como Mary Jane Watson nos três filmes originais de Homem-Aranha, lançados entre 2002 e 2007. No entanto, em nova entrevista ao News Australia, a atriz contou que um produtor do projeto queria que ela "consertasse" uma coisa antes de ganhar o papel.

"Ele tentou sutilmente me coagir a mudar os meus dentes. Ele queria que eu tivesse aqueles dentes perfeitos de boneca, de Barbie. E eu disse: 'Não, eu absolutamente não vou fazer isso'", contou.

Dunst disse ainda que nunca achou difícil encontrar os seus limites como atriz e dizer "não" a exigências exageradas. "Eu sempre disse não. Essa é a minha vida, sabe?", definiu.

"Em outro momento de Homem-Aranha, eles queriam que eu filmasse uma cena de ação sem dublês, onde eu basicamente saltava de bungee jump. E eu tentei, mas me senti muito mal. Então eu disse: 'Vocês deviam ter filmado o teste, porque eu não vou fazer isso de novo'", contou.

Na ativa desde a infância, Dunst contou que ter mulheres fortes por perto em seus primeiros passos no cinema ajudou a construir esta atitude mais assertiva. "Eu trabalhei com Sofia Coppola quando tinha 16 anos, e estava começando a me tornar uma mulher", contou.

Dunst atuou em As Virgens Suicidas, filme de estreia de Coppola na direção, em 1999. "Eu tive influências muito boas. Mulheres que me diziam: 'Você é ótima, amo os seus dentes, não mude nada'. Elas me deram um bom senso de mim mesma, do que eu achava certo ou errado fazer", disse.

"Em última instância, é só uma série de TV ou um filme, então eu não vou me matar por isso, ou me envolver em um acidente. Se a minha intuição está dizendo 'não', eu não vou fazer", completou.

Geek