Topo

Rock in Rio


Produtora do Slayer em São Paulo veta rodas de mosh e gera piadas

Fernando Maia/UOL
Imagem: Fernando Maia/UOL

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

01/10/2019 15h11

Um comunicado da produtora que organiza o show do Slayer em São Paulo gerou críticas e piadas dos fãs da icônica banda de thrash metal. No texto, a Move Concerts diz que as práticas de moshing e crowdsurfing são vetadas na apresentação de amanhã, no Espaço das Américas. O grupo se apresenta no Rock in Rio no dia 4 (sexta-feira).

As rodas de pogo e as pessoas sendo carregadas pelos outros fãs são práticas bem recorrentes nos shows de metal, ainda mais quando se fala de vertentes mais pesadas, como o thrash metal do Slayer.

Em um recado da Move Converts, explica-se que objetos convencionais são vetados no show, como filmadoras profissionais e objetos cortantes. Chama a atenção, ao final: "Também não será permitido moshing e crowd surfing".

O comunicado da Move Concerts no site da Livepass - Reprodução
O comunicado da Move Concerts no site da Livepass
Imagem: Reprodução

Na página do evento no Facebook, muita gente fez piada: "Eu conto ou vocês contam?", disse uma fã. "Ir no show do slayer e não moshar blz... Vai dar certo sim", comentou outro. Um terceiro riu: "Tentar proibir mosh no show do Slayer é como tentar proibir água de ser molhada. A rapeize (sic) ficou mais instigada".

Procurada pela reportagem, a produtora ainda não respondeu especificamente o que é vetado e como a proibição seria colocada em prática.

UOL entrou na roda de pogo no Rock in Rio de 2015; relembre

UOL Entretenimento

O Slayer vem realizando sua turnê de despedida, após mais de três décadas de carreira. Integrante do Big Four, grupo das quatro bandas mais importantes do thrash metal, junto a Metallica, Megadeth e Anthrax, o grupo começou na Califórnia, em 1981.

O quarteto, hoje formado por Tom Araya (baixo e vocal), Kerry King e Gary Holt (guitarras) e Paul Bostaph (bateria), lançou como mais recente álbum Repentless, em 2015, e traz um repertório misturando faixas recentes com clássicos como Raining Blood, Angel of Death e War Ensemble.

Rock in Rio