Topo

Polícia recolhe mais peças de avião que caiu e matou Gabriel Diniz

27.set.2019 - Pedaço de asa que caiu e matou Gabriel Diniz - Divulgação/PF
27.set.2019 - Pedaço de asa que caiu e matou Gabriel Diniz Imagem: Divulgação/PF

Aliny Gama

Colaboração para o UOL, em Maceió

27/09/2019 14h29

A Polícia Federal recolheu peças do avião monomotor Piper Cherokee PT-KLO, que caiu em Estância (SE), a 66 km de Aracaju, e provocou a morte do cantor Gabriel Diniz, 28, e dos pilotos Abraão Farias, 27, e Linaldo Xavier Rodrigues, 37. Os objetos foram recolhidos ontem e hoje no povoado Porto do Mato e estavam nas casas de moradores.

O material inclui pedaços de uma das asas e outros fragmentos da aeronave que foram guardados pelos moradores, após serem localizados em meio à vegetação de mangue, na área do acidente. Os objetos serão periciados pela Polícia Federal e Aeronáutica.

"Tão logo tomou conhecimento do achado, através de notícias veiculadas na imprensa local, a Polícia Federal mobilizou-se para arrecadar os objetos e tentar localizar outros que porventura estivessem ao abandono naquela região", informou a PF.

Pedaço de avião que caiu e matou Gabriel Diniz é retirado pela PF - Divulgação/PF
Pedaço de avião que caiu e matou Gabriel Diniz é retirado pela PF
Imagem: Divulgação/PF
A Polícia Federal instaurou inquérito policial sobre a queda do avião para apurar eventual prática de crime de atentado contra a segurança de transporte aéreo. O Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) também investiga as causas do acidente. As apurações ocorrem em sigilo.

No dia 24, a Polícia Federal informou que solicitou à Justiça Federal prorrogação de mais 30 dias para concluir o inquérito sobre o acidente. A polícia alegou que faltam alguns laudos para conclusão do inquérito. Esta é a terceira vez que a polícia pede prorrogação do prazo.

Parte dos destroços do avião recolhidos após o acidente foi devolvido ao aeroclube de Maceió, proprietário do avião, no mês de junho, após retirada de partes relevantes pela perícia, que encaminhou o material para um laboratório em São Paulo. No dia 25 de junho, a PF confirmou que as peças de alumínio e ferro entregues foram vendidos pelo proprietário do avião para um ferro-velho, em Aracaju (SE). O Aeroclube de Maceió ficou o motor e o trem de pouso.

Gabriel Diniz morre em acidente aéreo em Estância (SE)

UOL Entretenimento

O acidente

O cantor Gabriel Diniz voltava para Maceió depois de um show realizado em Feira de Santana (BA) quando o avião que ele estava, junto com os pilotos Abraão Farias e Linaldo Xavier Rodrigues, caiu em uma área de mangue em Porto do Mato, Estância (SE), em 27 de maio. Os três ocupantes morreram na hora do acidente.

Antes do show, o cantor estava na capital alagoana, comemorando o aniversário da namorada dele, Karoline Calheiros, junto com os pais dele e familiares. Ele morreu no dia do aniversário da namorada.

O avião que Diniz viajava era um monomotor modelo Piper Cherokee, prefixo PT-KLO, fabricado em 1974 e pertencia ao Aeroclube de Alagoas. A aeronave não tinha autorização para fazer táxi-aéreo e realizava voos panorâmicos pelo litoral de Alagoas sem autorização da Anac (Agência Nacional de Aviação).

Segundo a família do piloto Abraão Farias, Gabriel Diniz pagou R$ 4 mil pelo transporte aéreo de ida e volta entre Maceió e Salvador. Os dois pilotos do monomotor eram diretores do Aeroclube de Maceió.

Sertanejo