PUBLICIDADE
Topo

Por que os EUA temem que homens que não transam ataquem exibições de Coringa

Coringa - Reprodução
Coringa Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

25/09/2019 14h34

O Exército dos Estados Unidos está em alerta para estreia do filme Coringa, protagonizado por Joaquin Phoenix. O alerta é para potenciais ataques violentos que podem ser estimulados pela produção.

Um memorando foi enviado a várias bases militares alertando para uma possível incitação à violência provocada pelo filme.

Não houve nenhum registro ou denúncia relacionados ao personagem, mas o Exército confirmou que foi alertado pelo FBI de posts em redes sociais fazendo referência a ataques violentos durante as exibições do filme.

O FBI chama esses suspeitos de incel. O termo incel é um diminutivo da expressão "involuntary celibates", ou celibatários involuntários. São homens que não conseguem ter relações sexuais e amorosas e culpam as mulheres e os homens sexualmente ativos por isso e que participam de inúmeros fóruns na internet.

O memorando diz que esses indivíduos "idolatram figuras violentas como o atirador do cinema em Aurora (no Colorado)" e também o vilão do Batman. "Queremos nossas equipes preparadas e diligências nas bases e fora dela", declaro o Exército.

A associação de familiares das vítimas do atirador do Colorado, em 2012, durante uma sessão do filme Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge, enviou uma carta para a Warner Bros. manifestando preocupação com o filme.

Em um comunicado, o estúdio afirmou que o filme "não endossa a violência do mundo real" e nem é "a intenção do filme, dos cineastas ou do estúdio manter esse personagem como um herói".

O estúdio também mencionou que "tem uma longa história de doações para vítimas de violência, incluindo Aurora, e nas últimas semanas, nossa empresa-mãe se juntou a outros líderes empresariais para convidar os formuladores de políticas a aprovar legislação para lidar com essa epidemia.".

O Coringa estreia nos cinemas no dia 3 de outubro.