Topo

Entretenimento


Felipe Neto ganha apoio de políticos e Paulo Coelho: "Poderia ser nosso filho"

Paulo Coelho publica breve texto em homenagem e apoio a Felipe Neto - reprodução/Twitter
Paulo Coelho publica breve texto em homenagem e apoio a Felipe Neto Imagem: reprodução/Twitter

Do UOL, em São Paulo

16/09/2019 18h11

Felipe Neto recebeu apoio de políticos e de personalidades como Paulo Coelho hoje (16), horas depois de revelar que tem recebido ameaças e que, por isso, tirou a própria mãe do Brasil. O escritor publicou um texto que fez o influenciador se emocionar e ainda o convidou para ir para Genebra, cidade suíça que descreve como "super vigiada".

"Ele poderia ser nosso filho. Nosso Felipe. Nosso Neto. Está contra a censura, a intolerância e a barbárie. Está do lado da diversidade, da liberdade de expressão e da literatura. Está do nosso lado. E nós estamos com ele", publicou Paulo Coelho no Twitter. Felipe compartilhou a mensagem com a seguinte frase: "Chorei e é verdade".

"Não brinca com milicianos. Está fazendo o certo, mas realmente não se exponha. Qualquer coisa pode vir até aqui - Genebra é super vigiada por causa dos muitos corpos diplomáticos. Se precisar, me acione por DM", escreveu Paulo Coelho em resposta ao youtuber no Twitter.

A reação de Felipe foi bem-humorada, e não é possível saber se ele estava falando sério ou não: "Querido, você não faça ofertas assim que amanhã eu tô batendo na sua porta", disse Felipe Neto, que comprou 14 mil livros com temática LGBT para distribuir gratuitamente na Bienal do Rio.

Dentre os políticos que manifestaram apoio ao empresário hoje, destacam-se alguns nomes de esquerda. Manuela D'Ávila (PCdoB), candidata à vice-presidência da República pela chapa do PT em 2018, publicou o seguinte: "Querido Felipe, recebe meu abraço solidário. Venceremos o ódio".

A deputada federal Maria do Rosario (PT-RS) também falou. "Nosso apoio e solidariedade, Felipe Neto. Tempos sombrios para aqueles e aquelas que se posicionam pelo correto. O Brasil foi intoxicado por atos e palavras sombrias. Seguiremos resistindo ao ódio e à intolerância. Vai passar!", escreveu, em sintonia com o também petista Humberto Costa.

"Toda a nossa solidariedade a você, Felipe Neto. Nós, que integramos a CPMI das Fake News, também temos sido bastante ameaçados. Mas não irão empastelar nosso trabalho. As investigações vão chegar a esses bandidos que operam na esgotosfera da internet", postou o senador.

Sâmia Bomfim (PSOL-SP) relacionou o tema ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). "Não é normal dentro de uma democracia que qualquer pessoa, conhecida ou anônima, seja impedida de realizar suas atividades e dizer aquilo que pensa por conta de ameaças, ainda mais vindas de grupos ligados ao presidente da República. Todo apoio ao Felipe Neto. Chega de Bolsonaro", escreveu a deputada federal em seu perfil do Twitter, bem como o colega de partido David Miranda (PSOL-RJ).

"Entendo bem como fanatismo funciona. Toda solidariedade a você, Felipe Neto, saiba que você está do lado certo da história! Força, querido!", publicou o deputado federal.

Guilherme Boulos, candidato à presidência em 2018 pelo PSOL, questionou a atuação de Sergio Moro como ministro da Justiça e da Segurança Pública. "Por que Moro não atua contra a rede bolsonarista de ameaças criminosas no mesmo ritmo que encontrou o 'hacker de Araraquara'? Todo apoio ao Felipe Neto", comentou o coordenador do MTST.

Jandira Feghali, deputada federal (PCdoB-RJ), exigiu ação das autoridades: "Este não é o Brasil que sonhamos. Um jovem com ideias diferentes de obscurantistas ter que tomar providências como essas. Assustador. As autoridades competentes precisam agir para garantir as liberdades constitucionais de Felipe Neto e tantas outras pessoas".

A deputada Fernanda Melchionna (PSOL-RS) se manifestou da seguinte forma: "Muito indignante e preocupante as ameaças que Felipe Neto está sofrendo após se manifestar contra a censura a livros com temática LGBT. Não podemos naturalizar essas ameaças. Nossa solidariedade a ti! Precisamos fortalecer a luta contra o obscurantismo!", afirmou.

Felipe também tem recebido apoio de outros produtores de conteúdo. Um deles foi Felipe Castanhari, antigo desafeto com quem ele reatou os laços de amizade em novembro de 2018. "É, cara, infelizmente vivemos uma distopia. Cuidado, porque você está pisando nos calos de uma galera que é do mal! Lembre-se de Marielle, todo cuidado é pouco", disse o amigo.

Mais Entretenimento