Topo

Entretenimento


Sting critica Bolsonaro por queimadas: "Retórica nacionalista incendiou Amazônia"

O cantor Sting - Reprodução/Instagram
O cantor Sting Imagem: Reprodução/Instagram

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

28/08/2019 17h27

O cantor britânico Sting aumentou a lista de famosos estrangeiros que criticaram Jair Bolsonaro pelas queimadas na Amazônia. O músico compartilhou em suas redes sociais um texto em que implora ao presidente do Brasil para rever a política de preservação ambiental.

"Apelamos ao governo brasileiro para que mude a política que abriu a Amazônia para exploração. A retórica nacionalista acendeu efetivamente as chamas que ameaçam engolir o laboratório vivo mais importante do planeta. Inúmeras espécies estão em perigo de extinção imediata", alertou o cantor.

Em seguida, Sting desabafou sobre a conduta de Bolsonaro em relação à política externa ambiental: "O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, expressou abertamente que não é amigo do povo indígena e agora renega os tratados já assinados, desmantelamento as organizações científicas e de direitos humanos no Brasil".

"Ele criticou os países do G7 pela hipocrisia, dizendo que há muito que corte as nossas próprias florestas, mas isso não é razão para não aprender com esses erros", prosseguiu o músico. "Todos nós temos de ajudar a criar um modelo econômico sustentável que torne desnecessária a destruição das florestas no Brasil", opinou.

Além de Sting, outras celebridades internacionais se posicionaram a favor da preservação da Amazônia e contra Bolsonaro, como Jay Kay, líder do Jamiroquai, a cantora Madonna, os jogadores Cristiano Ronaldo e Mbappé, o piloto de Fórmula 1 Lewis Hamilton e os atores Leonardo DiCaprio e Mark Ruffalo.

Mais Entretenimento