Topo

Entretenimento


Secretário de Cultura se demite após governo suspender edital com séries de tema LGBT

Henrique Pires, ex-secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania - Ronaldo Caldas/Ministério da Cidadania
Henrique Pires, ex-secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania Imagem: Ronaldo Caldas/Ministério da Cidadania

Paulo Pacheco

Do UOL, em São Paulo

21/08/2019 16h56Atualizada em 21/08/2019 17h39

Henrique Pires, secretário especial da Cultura do Ministério da Cidadania, pediu demissão na tarde de hoje. Ele deixa o cargo como reação à suspensão de um edital com séries de temática LGBT, criticado pelo presidente Jair Bolsonaro. À Folha de S.Paulo, Pires sugeriu que o governo tenta impor uma censura.

Subordinado ao ministro da Cidadania, Osmar Terra, Pires teria pedido seu desligamento da pasta por discordar do cancelamento do edital de séries sobre diversidade de gênero e sexualidade para serem exibidas nas TVs públicas. A exoneração do ex-secretário deve ser publicada ainda hoje no Diário Oficial da União.

À Folha, Pires confirmou seu pedido de demissão. Ficou muito claro que eu estou desafinado com ele [Osmar Terra] e com o presidente sobre liberdade de expressão", disse o agora ex-secretário. "Eu não admito que a cultura possa ter filtros, então, como estou desafinado, saio eu".

"Nós precisamos pacificar o Brasil para trabalhar, e tem gente que não está preocupada, como se não tivéssemos 13 milhões de desempregados e [a gente] precisasse ficar olhando com lupa um filme para ver se tem um homem pelado beijando outro homem", criticou Pires.

"Eu não estou saindo contra ninguém, estou saindo a favor da liberdade de expressão", afirmou. "Ou eu me manifesto e caio fora, ou estarei sendo conivente", concluiu.

Bolsonaro compartilhou em sua rede social a notícia sobre a suspensão do edital. A decisão do presidente foi criticada por profissionais como o novelista Aguinaldo Silva, da Globo.

Mais Entretenimento