Topo

Filmes e séries


Chris Hemsworth fala sobre futuro do Thor, papéis perdidos, 007 e "Star Trek 4"

Thor (Chris Hemsworth) em cena de "Vingadores: Guerra Infinita" - Divulgação
Thor (Chris Hemsworth) em cena de "Vingadores: Guerra Infinita" Imagem: Divulgação

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

28/05/2019 10h56

Chris Hemsworth mostrou que não tem papas na língua ao conversar com a revista "Variety" em matéria publicada hoje. O ator australiano refletiu sobre sua carreira (erros e acertos incluídos), sobre a trajetória de seu personagem Thor no universo Marvel, e sobre o futuro de outras franquias das quais faz parte.

Hemsworth contou, por exemplo, que recusou participar do próximo filme da franquia "Star Trek" ao ler o roteiro. "Eu não senti que a proposta deles para o filme me deu uma razão para revisitar o meu papel. Eu não quero fazer um projeto a não ser que eu possa contribuir para ele de forma significativa", comentou.

O ator interpretou George Kirk, o pai do Capitão James T. Kirk (Chris Pine), em dois filmes anteriores da franquia: "Star Trek" (2009) e "Além da Escuridão" (2013). Em janeiro, o quarto longa da saga foi aparentemente arquivado pelo estúdio.

Hemsworth também gosta de ver o seu nome na lista de possíveis substitutos de Daniel Craig na franquia 007, mas apoia outro candidato ao papel. "Eu votaria em Idris [Elba]. Acho que ele traria algo diferente para o personagem, e acho que esta é chave quando você está trocando o ator de Bond", comentou.

Chris Hemsworth em cena de "Caça-Fantasmas" (2016) - Divulgação/IMDb
Chris Hemsworth em cena de "Caça-Fantasmas" (2016)
Imagem: Divulgação/IMDb

Oportunidades perdidas

Em outro momento da entrevista, Hemsworth refletiu de forma honesta sobre títulos de sua filmografia que decepcionaram o público. O ator confessou que não gosta de sua performance em "Hacker" (2015), por exemplo.

"Eu não gostei da minha atuação quando assisti", comentou. "Eu acho que ficou sem sal. Eu estava tentando fazer algo que achei que o público queria ver partindo de mim. Mas eu não acho que sou bom no espaço em que aquele filme me colocou".

Ele também concordou com as críticas levantadas contra "O Caçador e a Rainha de Gelo" (2016): "Senti que eu estava em um filme diferente dos outros atores. Eu estava no meu canto, fazendo o meu personagem, enquanto [Emily Blunt e Charlize Theron] estavam entregando performances muito dramáticas, incríveis".

Por fim, Hemsworth revelou que quase abandonou o seu papel em "Caça-Fantasmas" (2016). "Na noite antes das filmagens, quase desisti. Eu estava assustado demais. Não tinha plano nenhum, então comecei a sugar a energia cômica [do elenco feminino]. Estava me sentindo ridículo, então usei isso ao meu favor", refletiu.

Apesar das filmagens desafiadoras, o ator disse que adoraria ter feito uma continuação do longa de comédia, e detonou o grupo de fãs de "Caça-Fantasmas" que fez campanha negativa contra o filme por conta de seu elenco principal feminino.

"Durante todo o período em que aquilo estava acontecendo, pensei: 'Por que vocês [fãs] acham que são donos dos personagens?'. Então, por que vocês assistiram ao filme original, acham que podem dizer como ele deve ser feito ou não? Eu achei tudo isso desapontador", disse.

Chris Hemsworth em cena de "Thor" (2011) - Reprodução
Chris Hemsworth em cena de "Thor" (2011)
Imagem: Reprodução

De Gambit a Thor

No começo de sua carreira, antes de poder escolher seus projetos a dedo, Hemsworth perdeu alguns papéis em blockbusters. "Eu quase fui escalado em 'G.I. Joe: A Origem de Cobra' [o papel foi para Channing Tatum], e quase fui Gambit em 'X-Men Origens: Wolverine' [Taylor Kitsch interpretou o mutante]", contou.

"No fim das contas, deu tudo certo. Se eu tivesse conseguido aqueles personagens, talvez não tivesse sido escalado como Thor", refletiu ainda. O papel do deus do trovão da Marvel, que ele vem interpretando há oito anos, o trouxe o reconhecimento de Hollywood e amizades para toda a vida.

"[Robert] Downey Jr. é como o meu mentor", confessou o ator. "Tenho uma amizade incrível com Scarlett [Johansson], com [Jeremy] Renner e [Mark] Ruffalo. Eu sinto que Chris Evans é meu irmão. Eles não deixaram a gente fazer imprensa juntos para 'Ultimato', porque íamos zoar tanto que não daria para falar do filme".

Evans confirmou a acusação de Hemsworth. "Sim, somos como amigos no colegial. Tiveram que nos separar para conseguirmos fazer o nosso trabalho", brincou. "Eu adoraria fazer um filme em que eu e Chris somos parceiros policiais, uma coisa bem anos 1980".

Ao contrário de vários dos seus colegas de "Vingadores: Ultimato", Hemsworth disse que não quer aposentar o papel do deus do trovão. "Eu amaria fazer mais com este personagem, para ser honesto. Eu não sei qual é o plano [da Marvel], mas senti que abrimos um território diferente com Thor neste último filme", comentou.

Filmes e séries