Topo

Geek


"Pokémon: Detetive Pikachu" é aventura inocente, e isso é muito bom

Divulgação
Imagem: Divulgação

Osmar Portilho

Do UOL, em São Paulo

09/05/2019 04h00

Um Pikachu extremamente humanizado e com a voz de Ryan Reynolds. É natural que os fãs mais antigos de Pokémon tivessem se assustado com o anúncio de "Pokémon: Detetive Pikachu", que estreia no Brasil hoje. Mas não há nada a temer. Em uma semana onde o trailer de "Sonic" ainda é questionado pelo visual bizarro do personagem, "Detetive Pikachu" se desvencilha das armadilhas das adaptações dos games para o cinema com maestria. O divertido filme é uma aventura inocente e fácil de ser apreciada por todos. Se você não for fã de Pokémon, vai achar bonitinho. Se for fã dos games ou do anime, vai pirar com tanto fan service e easter eggs despejados nos 104 minutos de filme.

Justice Smith fala sobre bastidores de "Detetive Pikachu"

UOL Entretenimento

1. História original

Embora Tim Goodman (Justice Smith) e o próprio Pikachu de boina sejam inspirados no game para Nintendo 3DS, "Detetive Pikachu" tem uma história independente. Seu maior trunfo é justamente montar no cinema um roteiro que seja interessante no formato de filme. A grande armadilha que caem a maioria das adaptações de games ou animes é de buscar o inalcançável, que é criar uma história para contemplar todos os fãs de uma franquia que se espalhou em tantas plataformas. Em vez de se inspirar em uma narrativa que fez sucesso no anime ou nos consoles, o filme dá pontapé no seu próprio universo e se apropria dos elementos de Pokémon de maneira certeira para ganhar o público.

"Detetive Pikachu" mostra a saga de Tim, um ex-treinador Pokémon, que conta com a ajuda de Pikachu para encontrar seu pai desaparecido misteriosamente em um acidente de carro.

2. Os Pokémon ainda mais humanos: os melhores coadjuvantes

O anime de Pokémon, sucesso no Brasil no fim dos anos 1990, já apresentou um universo dos Pokémon muito mais humanizado do que os pixels esverdeados das versões Red e Blue do Game Boy. Em "Detetive Pikachu", é nítido que o diretor Rob Letterman ("Monstros vs Aliens") deu um passo além para usar as características dos Pokémon para dar ainda mais profundidade em suas personalidades. O resultado é hilário e um time de peso de coadjuvantes que fazem aparições certeiras, como o irritadiço Jigglypuff em seu karaokê ou insistente Mr. Mime que não abandona suas mímicas.

3. Para todos

A história de "Detetive Pikachu" é cativante o suficiente para atrair a atenção mesmo de quem não faça ideia do que aquelas criaturinhas sejam. A abertura do filme dá uma geral sobre o assunto sem didatismo exagerado. É uma passagem fácil para se aceitar a existência de um universo onde os Pokémon existem. As próprias referências usadas na criação deles serve agora para que eles seja posicionados como seres da natureza. Nada mais normal do que ver revoada de Pidgeys ou um Growlithe escoltando um policial, certo?

4. Agora, se você é fã...

Aí o bicho pega. O longa aproveita sua 1h44 para despejar easter eggs e uma quantidade absurda de Pokémon em praticamente todos os frames do filme. Além dos monstrinhos ganharem características bem "realistas" (na medida do possível, né), o filme se esforça bastante para tratar o universo da cidade da maneira mais natural possível. Fãs são facilmente absorvidos por Ryme City e para seu funcionamento. Se nas versões Red e Blue do "Pokémon" para Game Boy as coisas pareciam um pouco rurais, em "Detetive Pikachu" podemos ver quantas funções os personagens podem desempenhar e como ganham vida na cidade. E possivelmente maior trunfo do longa de Rob Letterman seja justamente mostrar tudo isso de forma leve, sem esfregar detalhes na cara dos telespectadores. Fãs assíduos da série verão as cenas já pensando em procurar por mais detalhes na segunda vez que assistirem ao filme.

5. Rir de si mesmo

Em uma época onde lançamentos são grandiosos e ambiciosos, "Detetive Pikachu" passa uma leve sensação de se sentir um "underdog", ou simplesmente um azarão na corrida do cinema. Isso vindo da franquia que, em 2018, superou Marvel e Star Wars como marca de entretenimento mais lucrativa da história. Em vez de se levar a sério e se contagiar com o disputado mercado de adaptações de games e animes para as telonas, o filme trata seu universo com a leveza que uma aventura adolescente deve ter e por muitas vezes aproveita para rir de si mesmo. Em vez de mirar no topo, "Detetive Pikachu" entra de mansinho na corrida do cinema e aparece como uma das melhores adaptações vindas dos games e animes para as telonas. E o melhor, a franquia ainda tem muitos, mas muitos Pokémon ainda para explorar em suas histórias.

Geek