Topo

Geek


Mystério é o como o "tio descolado" de Peter em "Homem-Aranha: Longe de Casa"

Reprodução
Jake Gyllenhaal como o Mystério de "Homem-Aranha: Longe de Casa" Imagem: Reprodução

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

2019-04-25T15:24:10

25/04/2019 15h24

Embora seja um dos vilões mais terríveis do Homem-Aranha nos quadrinhos, o Mystério de Jake Gyllenhaal no filme "Homem-Aranha: Longe de Casa" vai desempenhar outro papel: o de mentor e "tio descolado" de Peter Parker (Tom Holland).

"Tony Stark [o Homem de Ferro] era o mentor de Peter nos filmes anteriores, então achamos que seria interessante se o Mystério, seu novo aliado, fosse como um 'tio descolado'", brinca o diretor Jon Watts em entrevista à "Entertainment Weekly". O filme tem estreia marcada para 4 de julho nos cinemas.

Em "Homem-Aranha: Longe de Casa", Peter é contatado por Nick Fury (Samuel L. Jackson) e Maria Hill (Cobie Smulders) para combater um grupo de vilões conhecido como os Elementais, durante uma viagem do herói pela Europa com seus colegas de classe.

Fury faz a ponte entre Peter e Quentin Beck, o Mystério, um ilusionista habilidoso. "Se você assistir às minhas entrevistas antigas, quando alguém me perguntava o nome de algum ator com quem eu queria trabalhar, eu sempre dizia o nome de Jake", comenta Holland.

Os dois atores desenvolveram uma amizade forte durante as filmagens. "O único problema é que, às vezes, eles riam tanto com as piadas um do outro que ficava difícil acertar as cenas", relembra o diretor Watts.

Divulgação
Detalhe de um cartaz de "Homem-Aranha: Longe de Casa" Imagem: Divulgação

Homem-Aranha, espião

Locações europeias, uma missão secreta... e até um novo traje, apelidado de "Stealth Suit", todo preto. Peter Parker está quase parecendo um agente secreto em sua nova aventura. "O uniforme é parecido com algo da Viúva Negra... Vai ver é um traje que ela nunca quis usar", brinca Holland.

Apesar das brincadeiras, Watts cita os filmes da série "Bourne" como uma das inspirações para "Longe de Casa". "Em alguns momentos nós percebíamos que estávamos criando cenas como as de 'A Identidade Bourne', como um filme de ação com uma viagem europeia", comenta.

A base da nova aventura do Aracnídeo, no entanto, continua sendo sua capacidade de se relacionar diretamente com o público. Afinal, é muito mais fácil se ver em um adolescente nova-iorquino do que em um deus nórdico do trovão (Thor) ou em um playboy bilionário com aptidão para ciência (Homem de Ferro).

"Depois do primeiro filme, percebi que todo mundo tinha adorado o quanto é possível se identificar com Peter", explica Holland. "Neste filme, pensamos no roteiro já neste sentido. Não queremos que ninguém no mundo se sinta excluído deste sentimento".