PUBLICIDADE
Topo

Gendry de "Game of Thrones" ri de piadas com remo e relembra cena de corrida no 7º ano

Joe Dempsie é Gendry em "Game of Thrones" - Divulgação
Joe Dempsie é Gendry em "Game of Thrones"
Imagem: Divulgação

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

02/04/2019 04h00

Se teve um personagem de "Game of Thrones" que ficou definido quase que completamente por memes, não há dúvidas: foi Gendry. O ferreiro, filho bastardo do rei Robert Baratheon, desapareceu ao fim da terceira temporada, remando para escapar da feiticeira Melisandre - e se tornou uma das maiores piadas entre os fãs da série.

A brincadeira, aliás, bem incentivada pelo ator Joe Dempsie. "Ainda remando", tuitou ele em 2014, após o fim da quarta temporada da série, fazendo a alegria dos fãs.

No fim das contas, Gendry passou três temporadas sumido e só foi reaparecer na sétima, em 2017. "Não o aconselharia a praticar o remo, porque ele não está indo a lugar algum rapidamente", brinca Dempsie em entrevista ao UOL, em Londres. "Três anos depois, ele chega ao destino", ri.

O retorno do personagem, porém, também acabou se tornando motivo de zoeira entre os fãs. Parte da trupe reunida por Jon Snow para ir além da Muralha provar a existência dos White Walkers, Gendry teve de voltar correndo para enviar um corvo pedindo ajuda a Daenerys quando a situação ficou feia. Ele cumpriu a missão com tanto êxito que foi comparado até a Usain Bolt no Twitter.

E Dempsie teve de correr bastante - no frio abaixo de 0 da Islândia - para gravar a fatídica cena. "Era ridículo", lembra. "Nós passávamos o dia filmando as cenas desse grupo, e elas tomavam boa parte do tempo, porque não há muita luz do sol na Islândia nessa época do ano. Então todo mundo terminava de gravar, menos eu. Eu tinha que correr de volta, em todas as locações", diverte-se.

Pausa

Aos 31 anos, Dempsie - famoso pelo Chris da série britânica "Skins" - não achou ruim ter passado três anos longe de "Game of Thrones". A série será encerrada em sua oitava temporada, que estreia no dia 14 de abril.

"Eu pude dar um passo para trás e não só testemunhar a série crescer em tamanho e como referência cultural, como também assistir à série como fã pela primeira vez", diz ele, jurando de pé juntos que não recebia nenhuma informação privilegiada por parte dos ex-colegas.

"Eu não sabia o que ia acontecer, não pedia nenhum spoiler nem nada aos outros atores, e não tinha que me preocupar com a possibilidade de o meu rosto aparecer na tela".

A distância, acredita o ator, só fez ele dar ainda mais valor a sua participação em "Game of Thrones". "Fiz um pacto comigo mesmo para assegurar que eu iria apreciar cada momento. É um fenômeno tão grande e você se envolve tanto, que acho que muitas pessoas que trabalham na série não vão conseguir se dar conta do impacto por alguns anos. E há tudo o que vem com a série, as oportunidades que ela te dá, as experiências que você consegue por ser parte de 'Game of Thrones'".

E se engana quem acha que o tempo fora facilitaria a despedida da série. "Eu achei que ia ficar bem, porque fiquei fora por três anos, e porque era só um trabalho. 'Sim, estou totalmente tranquilo com isso', pensei". Quando chegou sua vez de terminar de gravar, porém, não foi bem assim. "Eu geralmente fico bem até ver outra pessoa tentando não chorar... e então eu vi", relembra, aos risos.