PUBLICIDADE
Topo

Yalitza Aparicio, a professora que pode ganhar o Oscar de melhor atriz

Yalitza Aparicio, indicada ao Oscar de melhor atriz por "Roma" -  REUTERS/Mario Anzuoni
Yalitza Aparicio, indicada ao Oscar de melhor atriz por "Roma" Imagem: REUTERS/Mario Anzuoni

Guilherme Machado

Do UOL, em São Paulo

23/02/2019 04h00

A ideia de fazer um teste para um diretor internacionalmente premiado como Alfonso Cuarón é um sonho para muitos. Para Yalitza Aparicio e sua família, era um risco: como havia poucos detalhes, eles acreditavam que tudo poderia ser uma grande mentira, uma armadilha para realizar tráfico de pessoas. O medo era tanto que Yalitza foi com a mãe para uma segunda audição. Agora o que era medo virou magia: Yalitza pode ganhar o Oscar de melhor atriz no próximo domingo. 

"Minha família era contra a ideia de eu fazer o teste de elenco. Tinha um certo nível de medo porque a única coisa que me contaram era que o filme seria gravado na Cidade do México e que eles não estavam preocupados com a idade ou aparência física das mulheres que estava se candidatando, então era tudo muito estranho", contou ela para a revista "The Hollywood Reporter".

Como Yalitza Aparicio chegou ao Oscar

AFP

Mas ela logo se acalmou e viu que era tudo real. A equipe do renomado Cuarón, ganhador do Oscar pelo filme "Gravidade" (2013), tinha mesmo ido até a pequena cidade de Tlaxiaco, o estado mexicano de Oaxaca, e Yalitza foi mesmo escolhida para o papel de Cleo, protagonista de "Roma", um dos favoritos ao Oscar de melhor filme.

E o mais improvável: a própria Yalitza foi indicada na categoria de melhor atriz. Ela é apenas a segunda mexicana, após Selma Hayek, por "Frida", a alcançar a este feito. Uma ascensão meteórica para uma professora de ensino primário que nunca tinha pensado em atuar. Na verdade, ela mesma não se considera uma atriz.

Eu não acho que sou uma atriz porque não estudei para ser uma, mas eu não sei o que as pessoas diriam. Yalitza, em entrevista ao jornal britânico "The Guardian".

Trailer de "Roma"

UOL Entretenimento

Ajuda para a mãe

Cena de "Roma", que retrata rotina de uma família de classe média no México - Reprodução - Reprodução
Cena de "Roma", que retrata rotina de uma família de classe média no México
Imagem: Reprodução

De acordo com Yalitza, ela foi atrás do teste por conta de sua irmã, que era quem realmente queria fazê-lo, mas estava com uma gravidez avançada e não poderia. Aliás, a estrela de "Roma" conseguiu seu diploma em educação um mês antes de conquistar seu papel no filme.

Seu objetivo era ajudar a mãe, que trabalha como empregada doméstica. Agora que é protagonista de um longa, seu objetivo não mudou. "Não quero mais que minha mãe seja uma empregada doméstica porque é tão exaustivo. Minha prioridade é ajudar minha mãe, e depois, veremos se eu compro algo pra mim", declarou ela à publicação britânica.

Mas tudo isso acabou sendo perfeito para o diretor, que procurava ser o mais naturalista e próximo da realidade o possível com "Roma". O filme é um resgate da infância de Cuarón, com a personagem de Yalitza sendo a representação de Libo, uma babá que o diretor considera sua segunda mãe -- a personagem da atriz Marina de Tavira, Sofia, simboliza Cristina, mãe de Cuarón. O que ele queria era mesmo pessoas que lembrassem fisicamente aquelas de sua infância.

E Aparicio se dedicou para o papel. Tanto, que precisou aprender uma nova língua: Mixtec, falada pelos povos indígenas conhecidos como Mixtecs ou Mixtecos. Quem a ensinou foi sua melhor amiga, Nancy Garcia, que também acabou ganhando um papel no longa, como uma colega de Cleo.

Cena de "Roma", de Alfonso Cuarón - Divulgação - Divulgação
Yalitza Aparicio protagoniza "Roma"
Imagem: Divulgação

Nem todo mundo gostou

Apesar disso, parece que alguns atores, diretores e apresentadores mexicanos ficaram irritados com a indicação de Yalitza ao Oscar. Segundo eles, ela "não é atriz" ou teria tido sorte de principiante.

O ator Sergio Goyri reclamou inclusive que tinham "nomeado uma índia ao Oscar", o que provocou uma resposta dela. "Estou orgulhosa de ser uma indígena oaxaqueña e só lamento que haja pessoas que não sabem o significado correto das palavras", disse ela.

À "Variety", Yalitza disse que gostaria de voltar a trabalhar como atriz. "Mesmo que eu tenha um pouco de medo porque eu acho que cada filme é diferente. E, claro, precisaria fazer aulas de atuação", disse.

Ela vai levar o Oscar?

Yalitza entra como zebra na corrida do Oscar de melhor atriz. Glenn Close, por "A Esposa", e Olivia Colman, por "A Favorita", são os principais nomes da disputa, com Lady Gaga ("Nasce Uma Estrela") e Melissa McCarthy ("Poderia Me Perdoar?") correndo por fora.