Topo

Pop


Turnê do Trem da Alegria deve durar pelo menos 1 ano e tem apoio do criador

Reprodução/Instagram/@patriciaelucianocelebration
Patricia Marx e Luciano Nassyn vão se reunir na turnê "Trem da Alegria Celebration" Imagem: Reprodução/Instagram/@patriciaelucianocelebration

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

05/02/2019 19h10

A turnê do Trem da Alegria, anunciada nesta terça-feira (5), despertou a nostalgia do público que cresceu nos anos 80 e 90. Formada pelos dois primeiros integrantes do grupo, os cantores Luciano Nassyn e Patrícia Marx, a série de shows comemorativos começa em São Paulo, em 19 de maio, e deve passar por outras cidades com duração de pelo menos um ano.

É o que conta Luciano Nassyn ao UOL. "É uma turnê, uma celebração. Por isso que se chama 'Trem da Alegria Celebration'. Para celebrar mesmo. Hoje estou com 45 anos, aos 10 anos de idade foi quando comecei o Clube da Criança com a Patrícia", relembra ele sobre a parceria de 35 anos com a cantora, que até hoje é a sua amiga.

As conversas sobre um possível retorno já rolavam há bastante tempo, mas a turnê começou a ser idealizada no ano passado, quando o produtor Ricardo Hiroshi passou a procurar os integrantes para botar a ideia em prática. Juninho Bill, Vanessa e Amanda foram contatados, mas a incompatibilidade de agendas não permitiu que eles se juntassem a Luciano e Patricia.

"Foram uns quatro meses organizando tudo. Os produtores falaram com os outros integrantes. A Amanda está com outros projetos, tivemos incompatibilidade de agenda com o Juninho Bill. É muito complicado reunir todo mundo em uma única turnê. A Vanessa, por exemplo, está morando no Texas. Aí ficou eu e a Paty", explica Luciano, que não descarta receber outros integrantes durante a turnê. 

"Não só os ex-integrantes do Trem que quiserem participar como outros convidados também serão bem-vindos", diz Luciano, que pretende conciliar os shows com seus atendimentos de terapia holística e vibracional. "Já encerrei minha carreira musical, e hoje me dedico hoje totalmente às minhas terapias. É um projeto de vida que eu tenho. Não tenho pretensão nenhuma de lançar mais nada autoral", garante.

Relembre os hits do Trem da Alegria

UOL Entretenimento

Já Patrícia Marx tem espaço aberto para apresentar suas músicas da carreira solo durante os shows do Trem da Alegria. "A Patricia tem um trabalho solo que ela acabou de lançar e está muito bonito, inclusive. Ela vai trabalhar isso possivelmente", diz Luciano sobre o repertório dos shows que, claro, será baseado nos maiores sucessos do grupo infantil.

Consciente da memória afetiva que deve atrair o público para a turnê, o cantor prevê encontrar desde os quarentões com seus filhos até um público na faixa dos 20 e poucos anos. "Teve um boom de revival dos anos 80 lá pra 2005, 2006 e muita gente foi atrás pra saber o que era na época, o que rejuvenesceu nosso público. Agora tem também aquela novela da Globo ('Verão 90') que fala sobre isso, mostra as crianças curtindo, o Maracanã lotado", relembra ele, que se apresentou para quase 200 mil pessoas na configuração antiga do estádio.

Benção de Michael Sullivan

Reprodução/Instagram/@patriciaelucianocelebration
Capa do disco "Clube da Criança", de 1984, produzido por Michael Sullivan Imagem: Reprodução/Instagram/@patriciaelucianocelebration

Criador do Trem da Alegria, Michael Sullivan não está participando ativamente da nova turnê, mas diz apoiar completamente a reunião de Luciano e Patricia. "É bom para a gravadora, é bom para o compositor, é bom pra todo mundo. A música revive, as pessoas ficam felizes", conta o produtor. Os direitos do grupo pertencem à gravadora Sony Music, que comprou a antiga BMG. 

Sullivan, que hoje se dedica à música gospel e também se apresenta como cantor, diz que usa os 20 minutos finais de seus shows para os hits infantis que criou nos anos 80 e 90. "É uma festa pop. As pessoas não esquecem de 'Uni Duni Tê', 'É de Chocolate', 'Felicidade', 'He-Man', 'Iô-Iô', Piuí Abacaxi', são clássicos e clássicos", conta.

O contato com os ex-integrantes do Trem da Alegria já não é mais o mesmo, "moro no Rio, o Luciano e a Patrícia estão em São Paulo", mas eles ainda conversam por telefone e comemoram quando se encontram nos bastidores de programas. 

"Quando lancei eles, lancei a Xuxa junto, foram lançados no disco que era o 'Clube da Criança' (1984). Era a Xuxa, o Luciano e a Patricia, o palhaço Carequinha, teve até o Pelé que também participou cantando. Faz 35 anos, é uma boa data para eles festejarem. É maravilhoso. Acho lindo esse retorno, o Trem foi muito importante para o mercado, para a música brasileira. Eu fico muito honrado."

Mais Pop