PUBLICIDADE
Topo

Família de ator que sofreu ataque homofóbico fala sobre o caso: "Terrorismo"

Jussie Smollett - Reprodução/Billboard
Jussie Smollett Imagem: Reprodução/Billboard

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

31/01/2019 19h34

A família de Jussie Smollett chamou de "terrorismo doméstico" o ataque homofóbico que o ator de "Empire" sofreu nesta semana. Em comunicado, os pais e irmãos de Jussie afirmaram que a agressão ainda foi "racista" e esperam que os criminosos sejam encontrados.

"Nas primeiras horas da manhã de terça-feira, nosso amado filho e irmão, Jussie, foi vítima de um ataque violento e não provocado", disse a declaração." Queremos ser claros: este foi um crime de ódio racial e homofóbico. Jussie contou tudo à polícia desde o começo. Sua história nunca mudou, e esperamos que encontrem esses homens e os levem à justiça".

O comunicado continua. "Nossa família agradece a todos por suas orações e pela enorme quantidade de amor que ele recebeu. Somos gratos à nossa comunidade pelo seu imenso apoio durante este período difícil. Jussie é um guerreiro cuja luz não pode ser diminuída."

"Queremos que as pessoas entendam que esses crimes de ódio direcionados estão acontecendo com nossas irmãs, irmãos e pessoas que não se identificam com seu gênero mensalmente, semanalmente e às vezes diariamente em todo o nosso país. Muitas vezes terminando de forma fatal, estes são atos desumanos de terrorismo doméstico e devem ser tratados como tal", completou.

Entenda o caso

O ator, conhecido por interpretar o personagem Jamal Lyon em "Empire", foi hospitalizado na madrugada da terça-feira (29) em Chicago, nos EUA.

Segundo o "TMZ", Smollett foi agredido por homens que utilizaram insultos homofóbicos e racistas ao reconhecer o ator. Além de interpretar um personagem LGBTQ+ na série, que atualmente exibe sua quinta temporada, Smollett se assumiu gay publicamente em 2015, em entrevista a Ellen DeGeneres.

O ataque teria acontecido por volta das duas horas da terça-feira, quando Smollett estava deixando um restaurante da rede Subway perto de sua casa. Dois homens que usavam máscaras de esqui reconheceram o ator, e um deles gritou: "Você não é aquela b**a de 'Empire'?".

Smollett tentou reagir, mas acabou tendo as costelas fraturadas pelos agressores, que ainda teriam jogado alvejante em cima do ator e colocado uma corda ao redor do seu pescoço antes de deixarem o local.

Os agressores supostamente se afastaram gritando o slogan "Faça a América Grande de Novo", da campanha de eleição do presidente Donald Trump. Uma ambulância foi chamada e Smollett foi internado no hospital Northwestern Memorial, de onde foi liberado mais tarde para se recuperar em casa.

O presidente norte-americano chamou o ataque de "horrível", mas não falou nada sobre os agressores terem usado um boné a favor de sua campanha eleitoral. 

A polícia de Chicago confirmou o relato do "TMZ" em uma declaração oficial, dizendo que os detetives "estão trabalhando para reunir vídeos de segurança, identificar possíveis testemunhas e estabelecer uma linha do tempo do incidente".

"Devido a severidade das acusações, estamos levando a investigação a sério e tratando-a como um possível crime de ódio", completou o porta-voz da polícia no comunicado.

Smollett e seus representantes ainda não se manifestaram publicamente sobre o caso.